Vacina do Butantan será distribuída a todos os Estados, diz governo

O Ministério da Saúde disse neste sábado (9.jan.2021) que a vacina contra o coronavírus produzida pelo Instituto Butantan será distribuída para todos os Estados. As 100 milhões de doses adquiridas serão incorporadas ao Plano de Operacionalização de Vacinação contra a covid-19.

O anúncio foi feito depois que o governo do Estado de São Paulo divulgou que a vacina reduz em 78% o risco de contrair covid-19. Segundo as autoridades paulistas, o imunizante preveniu totalmente mortes pela doença e foi 100% bem-sucedido ao impedir que os infectados desenvolvessem casos graves e moderados da doença.

Instituto Butantan desenvolve a vacina contra a covid-19 em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. O presidente Jair Bolsonaro é crítico do imunizante.

A vacinação será feita de forma simultânea, segundo a pasta, dentro da logística integrada do ministério e secretarias estaduais e municipais.

O governo federal já havia assinado contrato para a aquisição de 46 milhões de doses da vacina fabricada pelo instituto.

O Ministério da Saúde disse que, além da vacina produzida pelo Butantan, outros imunizantes adquiridos ou em negociação pela pasta seguirão o mesmo caminho, desde que tenham aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), garantindo a segurança e eficácia.

“Os Estados receberão as doses em quantidade proporcional à sua população e farão a distribuição aos 5.570 municípios brasileiros, de forma que todas as salas de vacinação do país recebam as vacinas o mais rápido possível”, afirmou a pasta.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu na 6ª feira (8.jan.2021) o pedido de autorização para uso emergencial e em caráter experimental da CoronaVac.

A campanha deve começar tão logo os imunizantes recebam autorização da agência para uso emergencial ou o registro definitivo. A aplicação será feita de forma gratuita para a população.

Também na reunião entre representantes do governo e do Butantan, foi acertado um novo encontro para os próximos dias, do qual participam o ministro Eduardo Pazuello (Saúde), e representantes dos Conselhos Nacionais de Secretários Estaduais e de Secretários Municipais de Saúde para detalhamento dos próximos passos da logística e calendário da campanha.

O secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse na 6ª feira (8.jan.2021) que São Paulo não abre mão de iniciar a vacinação contra a covid-19 a partir de 25 de janeiro.

O governo de São Paulo divulgou na tarde de 5ª feira (7.jan.2021) um vídeo promocional do Instituto Butantan com o que seriam os bastidores da revelação da taxa de eficácia da CoronaVac contra a covid-19.

Com informações do Poder 360

ÚLTIMAS NOTÍCIAS