InícioÚltimas do Olhar do SulTrombose atinge uma a cada quatro pessoas no mundo e 180 mil...

Trombose atinge uma a cada quatro pessoas no mundo e 180 mil pessoas ao ano no Brasil

De maneira oposta ao que se pensa, a trombose, conhecida como coágulos de sangue, é uma doença comum entre a população. No Brasil são 180 mil pessoas ao ano diagnosticadas. Mas o que causa a trombose? Por que ela é tão comum? Possui cura?

A Coordenadora do Curso Técnico em Enfermagem da Fundatec, Paola Ravanello, explica que “a doença é caracterizada pela formação ou desenvolvimento de um coágulo sanguíneo (trombo) que é responsável por causar uma inflamação na parede do vaso, podendo ser ele arterial ou venoso e pode ser causado por diversos fatores, principalmente por hábitos não saudáveis que as pessoas costumam ter”.

Nos dois últimos anos com a mudança de rotina da população por conta do Covid-19, a grande maioria parou de se exercitar e descuidou da alimentação, aumentando o consumo de álcool e de cigarro. Esses fatores fizeram com o que os números da doença crescessem durante o período da pandemia, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular de São Paulo (SBACV-SP).

Paola ressalta que além dos fatores anteriores, a dificuldade de movimentação, reposição hormonal, uso de anticoncepcional, varizes, cirurgias, internações prolongadas, fatores genéticos, idade avançada, colesterol elevado e obesidade também podem colaborar para o aparecimento da doença.

Apesar de boatos de que a trombose não possui cura, a professora afirma que há sim com o uso de anticoagulantes que diminuem a viscosidade do sangue e dissolvem os coágulos, porém é preciso estar atento aos sintomas, pois caso entre em processo de embolia, que é quando o trombo se desprende e se movimenta através da corrente sanguínea, pode ocasionar em riscos maiores e até mesmo em morte súbita se houver obstrução da passagem de sangue e oxigenação em órgãos como cérebro, coração e pulmão.

“A trombose pode ser assintomática, mas também pode apresentar os seguintes sintomas: dor, inchaço, aumento da temperatura do local, geralmente nas pernas, coloração vermelho escura ou até mesmo arroxeada e também o endurecimento da pele onde o trombo está localizado. O diagnóstico é realizado através da avaliação clínica e de um exame de imagem. O mais comum e utilizado por ser menos invasivo é o eco color doppler, onde é realizado o mapeamento através de cores e a presença ou ausência de fluxo sanguíneo no local onde há a suspeita da trombose” – explica a coordenadora.

A doença pode ser evitada de maneira fácil e simples. Praticar exercícios ou pequenas caminhadas diárias, manter o peso ideal, usar meias elásticas, evitar ficar muito tempo em repouso sem se movimentar, evitar uso de cigarro e álcool, procurar ter uma vida saudável e uma alimentação balanceada são alguns dos hábitos necessários que podem ajudar a prevenir a trombose.

Com informações: Niagara Braga/Usina de Notícias