Setores da Indústria e Comércio registram crescimento em SC

O Estado comemora os bons resultados, tanto no comércio quanto na indústria e serviços, registrados em abril, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O comércio subiu 36,8% e a indústria, 50,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

As vendas do comércio varejista ampliado, que engloba todas as atividades, inclusive materiais de construção e veículos, subiram 36,8% em Santa Catarina em abril, na comparação com o mesmo período de 2020.

Em março, o setor também apresentou crescimento de 26%, nesta mesma análise. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do IBGE.

“Os números têm mostrado uma retomada econômica em todos os setores, mesmo diante da pandemia e dos desafios impostos. O catarinense tem essa marca de superação e o governo do Estado tem feito diversas ações para apoiar e dar suporte para continuarmos crescendo”, destaca o governador Carlos Moisés.

O resultado de abril é também 2% superior ao de março. No acumulado do ano, a alta foi de 14%, maior que a do Brasil, que registrou 9,2%. Já a variação acumulada dos últimos 12 meses apontou um crescimento de 8,9%.

Áreas que impulsionaram crescimento do comércio

O crescimento do volume de vendas do varejo ampliado, na comparação com abril de 2020, foi impulsionado pelos segmentos de livros, jornais, revistas e papelaria (184,2%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (116,1%); veículos, motocicletas, partes e peças (114,2%); tecidos, vestuário e calçados (103,9%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (42,0%); móveis e eletrodomésticos (36,4%); materiais de construção (34,3%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (27,1%); combustíveis e lubrificantes (16,1%).

Serviços ganham destaque no índice de crescimento no país

Santa Catarina também apresentou o segundo melhor crescimento no setor de serviços do país, 13,7%, mais que o triplo da média nacional, que foi 3,7%. Os dados são referentes ao acumulado deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020 e que ainda refletem as consequências da pandemia. Entre os maiores estados brasileiros, SC teve a maior alta em 2021.

“Os números em diferentes segmentos vêm demonstrando a retomada da nossa economia. Isso tem sido possível porque viemos cumprindo o nosso papel de garantir regramentos seguros. Com muita responsabilidade, vamos avançando no setor econômico e no enfrentamento à covid-19”, ressaltou o governador Carlos Moisés.

Os dados da variação mensal dos serviços no acumulado do ano em Santa Catarina tiveram alta generalizada e foram puxados por: profissionais administrativos e complementares (31,3%); transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios (17,8%); informação e comunicação (9,0%); e outros serviços (8,8%).

Indústria da transformação teve o melhor desempenho

A indústria de transformação de Santa Catarina apresentou o melhor desempenho do país no ano, com uma expansão de 24,4%. Além disso, o setor fechou abril com aumento de 50,5% na produção industrial na comparação com o mesmo mês de 2020. Foi a quinta maior taxa do Brasil e representa um avanço significativamente maior que a média nacional (34,7%).

Em março, na mesma análise, o Estado já apresentou um acréscimo de 36,5%. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM). “Mesmo em um período de desafios, com muito trabalho e com regramentos sanitários, a indústria catarinense segue avançando. Os números mostram que estamos conseguindo retomar o crescimento, alcançando índices até superiores ao da pré-pandemia”, destaca o governador Carlos Moisés.

Em abril, a variação percentual mensal, se comparado ao mesmo mês do ano anterior, foi impulsionada no Estado pelos avanços observados nos setores de metalurgia (210,6%); fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (130,2%); fabricação de produtos têxteis (123,4%); fabricação de produtos de minerais não-metálicos (117,2%); fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (90,3%) e outros.

Com informações do DS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS