SANTA CATARINA (SC): Casos de dengue superam 2.300, em 2019, e verão pode potencializar criadouros do mosquito

Em 2019, Santa Catarina teve 2.313 casos suspeitos de dengue, 178 de chinkungunya e 20 de zika.

O Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti, o LIRAa, divulgado no final do ano passado, pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, apontou que 11 municípios estavam com alto risco de transmissão de dengue, chikungunya e zika.

Agora, em 2020, com a chagada do verão e do período chuvoso, a população do estado precisa aumentar os cuidados de prevenção aos criadouros do mosquito transmissor.

O gerente de Vigilância de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina, João Fuck, informa que as ações do estado para o combate ao mosquito transmissor estão intensificadas, mas, ele alerta que a população também precisa ter cuidados diários de prevenção.

“Evite locais que acumulem água. Desde pequenos recipientes, lixo, até recipientes maiores que não vemos todos os dias, como caixas d’água, calhas e cisternas. Eliminar tudo que pode e adequar aqueles que não podem ser descartados”.

A professora Marcia Nunes, de 42 anos, é moradora do bairro Monte Alegre, em Balneário Camboriú. Ela conta que teve dengue e acredita que foi contaminada pelo mosquito longe de casa, no trajeto para o trabalho.

“A dengue dá muita dor nas articulações, uma dor de cabeça forte, muita febre e dor atrás do olho, que você não consegue manter o olho aberto, só quer ficar com ele fechado. Falta a população ter conscientização, não adianta culpar o prefeito e dizer não faz e o pessoal que cuida da dengue. Eles fazem a parte deles, mas se a gente não fizer a nossa, eles não vão dar conta”.

A população de Santa Catarina precisa evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, por meio da prevenção. Por isso, é preciso vistoriar os quintais, as casas e as ruas dos bairros, com objetivo de eliminar objetos que possam se transformar em criadouros do mosquito, como vasos de plantas, galões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e manutenção e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas. O ideal é que a vistoria seja realizada uma vez por semana em casa, ao menos.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.

Com informações da Agencia do Rádio

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Idosos de Bom Jardim da Serra são surpreendidos por um Orleanense com visita musical

A última quinta-feira (24) foi animada para os idosos na Capital da Águas, a equipe do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS,...

LAGUNA | Registrou quatro novos casos de Covid ontem

O setor epidemiológico da prefeitura de Laguna informou ontem domingo, 27, mais quatro novos casos de contaminação pelo novo coronavírus na cidade. Não tivemos...

CBF e clubes mantêm proibição de torcedores em jogos do Brasileirão

Os torcedores de futebol deverão permanecer fora dos estádios durante os próximos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. Em decisão anunciada na tarde deste sábado (26),...

Briga por cocô de cachorro acaba em morte em Blumenau

Uma discussão antiga entre vizinhos acabou em morte na tarde deste sábado (26), no bairro Velha Grande, em Blumenau. Segundo a Polícia Militar, o...