Santa Catarina espera vacinar 2 milhões de pessoas contra a gripe

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina recomendou aos municípios medidas para evitar aglomerações de pessoas como forma de prevenção ao coronavírus. Cada prefeitura adotará a própria estratégia, fazendo a imunização em locais como domicílios, praças e escolas.

A vacina contra a gripe não previne o coronavírus, mas é importante para facilitar o diagnóstico da Covid-19, já que os sintomas das duas doenças são semelhantes. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que foi antecipada por causa da pandemia, vai até 22 de maio. O Dia D será 9 de maio.

Em Santa Catarina, o público-alvo é de mais de 2 milhões de pessoas e a meta é vacinar pelo menos 90% de cada grupo prioritário. O estado disponibilizou mais de 2 milhões e 500 mil doses da vacina trivalente, que protege contra os vírus H1N1, H3N2 e vírus do tipo B.

Na segunda fase da campanha, a partir de 16 de abril, serão vacinados membros das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários.

A partir de 9 de maio, na terceira etapa, entram professores, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto, população indígena, pessoas com 55 anos ou mais e pessoas com deficiência.

Lia Quaresma, gerente de Imunização da Secretaria de Saúde do estado, fala sobre as orientações repassadas para todos os municípios catarinenses.

“A Secretaria estadual de Saúde encaminhou para os municípios, por meio das regionais, orientação para a Campanha de Vacinação nos postos de saúde. Entre as instruções estão possíveis parcerias locais com escolas e centros comunitários, para descentralizar a vacinação nos postos. Uma orientação é a distância de dois metros entre as pessoas, principalmente idosos, que devem evitar contato, aperto de mão e beijos enquanto estão na fila”.

Uma das novidades deste ano no estado é a inclusão de pessoas com 55 anos ou mais nos grupos prioritários. O Ministério da Saúde está orientando as pessoas que em caso de fila, principalmente os idosos, devem manter distância de pelo menos 2 metros.

Marta Lopes, professora do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da USP, reforça a importância de evitar contato interpessoal para impedir o contágio da gripe.

“A proteção é evitar contato próximo, predominantemente com pessoas que estão resfriadas, com gripe, tossindo, espirrando ou nariz escorrendo. É preciso evitar aglomeração e não ficar muito perto das pessoas nem ter contato físico em abraços, beijos ou aperto de mão. Por isso a gente insiste tanto na lavagem das mãos.”

A especialista enfatiza que uma das fontes de contaminação mais frequentes são exatamente as mãos, que, sem perceber, levamos aos olhos e boca, além dos objetos pessoais.

Veja se na sua cidade haverá uma estratégia de vacinação diferenciada. Para mais informações sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, acesse: saude.gov.br/vacinabrasil.

Com informações da Agencia do Rádio Mais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vacina da Pfizer contra Covid-19 entra na última fase de testes clínicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que as empresas farmacêuticas Pfizer e BioNTech prossigam para a fase 3 do estudo clínico da...

Sinais de traição: como saber se seu parceiro está pensando nisso

Em muitos casos de infidelidade, aqueles que foram enganados admitem que viram os sinais, mas os ignoraram ou disseram a si mesmos que estavam...

Bolo, lembranças e muitas mensagens para professores e alunos do Colégio Satc

Rolou até parabéns e um bolo de aniversário. Arthur comemora na próxima semana, mas a mãe, Shirley Thiel decidiu trazer um bolo para comemorar...

Imbituba/Garopaba/Praia do Rosa | Com feriado no RS, fiscalização à pandemia será reforçada neste fim de semana

As equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) mantêm a rotina de fiscalização nos bairros em Imbituba. Durante toda a semana, os profissionais percorreram...