Reunião com prefeitos e caminhoneiros vai debater decreto que proíbe tráfego pesado em rodovias

Segunda-feira (17), às 14 horas, os prefeitos de Maracajá, Arlindo Rocha e de Araranguá, Mariano Mazzuco Neto, se reúnem com representantes de motoristas de caminhão que transportam minérios do distrito de Hercílio Luz. O encontro tem como pauta o Decreto Municipal que proíbe o tráfego de veículos de grande porte em três rodovia maracajaenses.

A reunião de segunda-feira, foi definida pelo prefeito de Maracajá e lideranças que organizaram uma manifestação na manhã deste sábado, dia 15, quando em torno de 30 caminhões, 95% deles com placas de Araranguá. Liderados por um trio elétrico, os manifestantes saíram de um posto de combustível e seguiram até o Paço Municipal Astir Demétrio da Rocha, no Centro Histórico de Maracajá, onde o prefeito Arlindo Rocha os aguardava.

O prefeito ouviu os discursos de lideranças e apesar de inicialmente acordado, Arlindo não teve direito de falar aos manifestantes. “Só temos a lamentar, nos dispusemos a receber os manifestantes em respeito a organização e manifestação popular, que consideramos da mais alta importância, mas não nos foi dado o direito de fazer o contraditório, de expor nossas razões e, sobretudo, de consolidar nossa disposição de dialogar, debater e encontrar uma solução que contente a todos”, disse o prefeito.

Segundo ele, com o decreto proibindo tráfego de veículos com mais de 10 toneladas atende interesses de mais de 300 famílias que moram ao longo das três rodovias. “Baixamos o decreto depois de reuniões com as comunidades do Encruzo do Barro  Vermelho e Espigão da Toca, que há anos sofrem com o impacto de poeira, barro, poluição sonora e insegurança provocada pelo tráfego de centenas de caminhões todos os dias, além disso, temos obrigação de proteger o patrimônio público do município, no caso, a pavimentação asfáltica que está sendo realizada e que será paga pelos maracajaenses”, acrescentou o prefeito Arlindo Rocha.

O prefeito maracajaense entende que é possível manter a atividade econômica no distrito de Araranguá, o transporte destes minérios transitar pelas rodovias de Maracajá. Mas, para isso, é necessário que existam compensações e ajustamentos e os interesses de algumas empresas não só impactem no cotidiano de centenas de famílias, apenas para atender interesses econômicos. “Esperamos encontrar alternativas e soluções que atendam necessidades de todos e todos os participantes da reunião terão direito de se manifestar”, finaliza Arlindo.

 

Portal Agora

Fonte: Gilvan de França/Assessoria de Imprensa

Foto : Divulgação

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vereadores de Orleans aprovam projeto que estima a receita e fixa a despesa do município para 2021

A 41ª Sessão Ordinária presidida pelo vereador Antônio Dias André, do MDB, transcorreu de forma tranquila e dentro da normalidade na noite desta segunda-feira,...

Mulheres seguem ausentes em 17% das Câmaras Municipais do país

"Estudo da organização busca entender os mecanismos que freiam a representatividade na política brasileira" Ainda que as eleições de 2020 tenham sido as mais diversas...

“Árvore da Vida” conforta e consola pacientes e familiares no Hospital Dona Helena, em Joinville (SC)

Em novembro, a imagem de uma árvore foi colocada na parede da capela do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC). Os pais que frequentam...

Anatel autoriza repasse de recursos para projetos de interiorização da TV Digital no Brasil e democratização da internet

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou o repasse de verba para projetos de interiorização da TV Digital e democratização da internet no país....