MUNDO | Reino Unido estuda passaporte de imunização para shows e eventos

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve anunciar na 2ª feira um “passaporte de imunização” para a liberação de eventos. O número de mortes por covid-19 diminuiu drasticamente com o lockdown imposto em janeiro. No sábado (3.abr.2021), 10 pessoas morreram pela doença, o menor número diário do país desde 13 de março de 2020.

Segundo a BBC, o governo está testando uma série de medidas “para permitir o retorno seguro de partidas esportivas, eventos e casas noturnas”. O passaporte de imunização, que pode ser um certificado digital ou impresso, mostraria se a pessoa foi vacinada contra a covid-19 e o resultado do último teste.

Boris Johnson disse que os testes iniciais “desempenharão um papel importante para permitir” a realização de eventos. “Estamos fazendo tudo o que podemos para permitir a reabertura de nosso país, para que as pessoas possam retornar aos eventos, viagens e outras coisas que amam com a maior segurança possível”, afirmou.

O plano do primeiro-ministro é fazer os testes em:

  • um clube de comédia;
  • nos jogos da semifinal e da final da Copa da Inglaterra;
  • em uma casa noturna;
  • em um evento empresarial
  • uma competição de corrida.

MEDIDA CONTROVERSA

Especialistas acreditam que a criação de um passaporte de imunização poderia levar à discriminação daqueles que não foram vacinados. A OMS (Organização Mundial de Saúdedisse em nota que “as autoridades nacionais e os operadores de transporte não devem introduzir requisitos de comprovação de vacinação covid-19, visto que ainda existem incógnitas críticas sobre a eficácia da vacinação em reduzir a transmissão”.

Parlamentares britânicos também se opõem à medida. Shami Chakrabarti, do Partido Trabalhista, disse em entrevista à BBC que separar imunizados das não imunizados “é introduzir um posto de controle que tantos de nós simplesmente não desejam”. Acrescentou ainda que “a participação na vida da comunidade local é um direito fundamental”.

Ed Davey, do partido Liberal Democratas, disse que “à medida que começarmos a controlar adequadamente este vírus, devemos começar a recuperar nossas liberdades. Passaportes de vacinas nos levam na outra direção”.

VACINAÇÃO

As medidas de “retorno à normalidade” são resultado do sucesso do Reino Unido no controle da pandemia, que está diretamente ligado à eficiente campanha de vacinação. Neste sábado (3.abr.2021), bateu os 5 milhões de vacinados com as duas doses da vacina anticovid-19. Lá, são aplicados os imunizantes da Pfizer e da Oxford/AstraZeneca.

Proporcionalmente, o Reino Unido é o 2º país que mais vacinou sua população. Mais de 46% dos residentes já receberam ao menos uma dose. Israel lidera no 1º quesito (60,7%). Em números totais, a ilha está em 4º lugar, com 36,3 milhões de doses aplicadas, atrás dos Estados Unidos (157,6 milhões).

Reportagem: Poder 360

ÚLTIMAS NOTÍCIAS