InícioNotíciasReavaliação nos EUA diz que glifosato não traz risco à saúde

Reavaliação nos EUA diz que glifosato não traz risco à saúde

A Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos concluiu sua reavaliação do glifosato e apontou que o herbicida mais usado no mundo não apresenta riscos para a saúde humana. De acordo com a revisão regulatória, o ingrediente ativo está dentro dos parâmetros exigidos pela “Lei Federal de Inseticidas, Fungicidas e Rodenticidas” e é totalmente seguro se for usado de acordo com sua bula.

A conclusão reafirma a posição anterior da mesma agência em relação ao glifosato, o principal ingrediente do Roundup da Bayer. Com isso a gigante dos agroquímicos ganha mais argumentos para rebater recentes julgamentos que a conderam a indenizar pessoas que alegam terem desenvolvido câncer após o uso do herbicida.

“A EPA concluiu que não há riscos e preocupação para a saúde humana quando o glifosato é usado de acordo com o rótulo, e que não é cancerígeno”, afirmou a agência em comunicado oficial de imprensa.

A Bayer, que comprou a fabricante de Roundup Monsanto por US $ 63 bilhões em 2018, comemorou o resultado. A empresa mantém sua posição de que o glifosato e o Roundup são seguros e não são cancerígenos. “Os herbicidas à base de glifosato são um dos produtos mais estudados do gênero, o que é uma das principais razões pelas quais os agricultores ao redor do mundo continuam confiando nesses produtos”, disse Liam Condon, presidente global da Bayer CropScience.

A Bayer está considerando, porém, interromper as vendas de glifosato a usuários urbanos, que o aplicam em seus jardins, informou o jornal alemão Handelsblatt.

Por: AgrolinkLeonardo Gottems