Macron teve 58,54% dos votos para um novo mandato no governo francês. A candidata Marine Le Pen (Agrupamento Nacional) somou 41,46%. A posse será em 13 de maio. A vitória rompe com uma tradição desfavorável ao candidato incumbente nos últimos 20 anos e reelege um presidente pela 1ª vez desde Jacques Chirac (1995-2007), em 2002. Além de Putin, líderes da Europa e do mundo cumprimentaram o francês pela vitória nas urnas, entre eles: Joe Biden, Xi Jiping, Boris Johnson e Olaf Scholz.

Apesar da mensagem enviada a Macron, a candidata Marine Le Pen era quem mais agradava Putin na disputa eleitoral francesa.  A candidata da direita já havia apoiado a invasão russa na Crimeia em 2014 e a intromissão em Donbass nos anos seguintes.

O partido de Le Pen, o Agrupamento Nacional, tem um empréstimo de bilhões com um banco russo desde 2014. Posteriormente, a dívida foi assumida por uma empresa russa de aviação e peças militares. A ligação do partido com a Rússia causa preocupação na campanha de Le Pen. No último debate antes das eleições, Macron destacou que a deputada não poderia “defender os interesses da França” ao falar sobre a invasão russa na Ucrânia devido a sua proximidade com o presidente russo.

Com informações do PODER 360