Programa “Saúde com Agente” oferece cursos técnicos para Agentes Comunitários de Saúde

O programa “Saúde com Agente” do Ministério da Saúde oferece cursos técnicos para Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias. A iniciativa foi publicada em chamamento público no Diário Oficial da União. A capacitação vai habilitar os profissionais para que desenvolvam um olhar mais apurado sobre as condições de saúde da comunidade e adquiram habilidades manuais para desempenhar as atividades do dia a dia.

Com duração de 10 meses (1.200 horas), entre aulas presenciais e à distância, os profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) poderão interpretar melhor as informações coletadas nas residências e fazer os devidos encaminhamentos.

O presidente da Federação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Endemias, Luis Cláudio, destaca alguns tópicos ensinados nos cursos.
“Serão ensinadas todas as práticas na área de Agente de Saúde e Agente de Endemias. Será lecionado sobre o Programa Nacional de Imunização, no qual os Agentes de Saúde poderão saber sobre a questão da vacinação, inclusive da Covid-19. E como aferir pressão, medir glicemia”, comenta.

Papel do Agente de Saúde

Entre as funções do Agente Comunitário de Saúde descritas na Política Nacional de Atenção Básica está: cadastrar pessoas de sua microárea; orientar as famílias quanto à utilização dos serviços de saúde disponíveis; acompanhar, por meio de visita domiciliar, todas os indivíduos sob sua responsabilidade; desenvolver atividade de promoção da saúde, prevenção de doenças e agravos e de vigilância.

Segundo a pesquisadora Márcia Valéria Morosini, integrante da Comissão de Política, Planejamento e Gestão da Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), o principal papel dos Agentes Comunitários de Saúde é de educação e promoção da saúde.

“Sua principal estratégia de atuação é por meio das visitas domiciliares. Ele acompanha crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes, promovendo informações e fazendo encaminhamentos para o serviço de Atenção Básica da região, ou orientando sobre possibilidade de atenção em outros pontos que compõem a rede do SUS”, explica.

Arte - Brasil 61

Lara Félix de Faria, moradora de Arceburgo, no sul mineiro, conta como a atuação dos Agentes Comunitários de Saúde é fundamental para a qualidade de vida de seus tios-avós.

“Minha tia-avó tem Alzheimer e não consegue mais andar, e meu tio-avô tem problemas cardíacos. Toda semana vem um agente de Saúde aqui perguntar como eles estão, verificar a pressão, se estão tomando os remédios corretamente. A vacina da Covid-19 foi aplicada em casa. Nós da família temos uma certa tranquilidade com o trabalho deles”, conta.

“No contexto da pandemia de Covid-19, ter esses trabalhadores atuando é fundamental para o desenvolvimento de ações voltadas para identificação e monitoramento de casos e de suspeitos, e para conhecer como está se desenvolvendo essa doença naquele território”, destaca a pesquisadora Márcia Valéria Morosini.

Inscrições

Para aderir ao Programa “Saúde com Agente”, os secretários estaduais e municipais de Saúde devem acessar o sistema egestorab.saude.gov.br até o dia 4 de junho.

O custeio das bolsas e dos recursos didáticos necessários às atividades educacionais será feito por incentivo financeiro do Fundo Nacional de Saúde (FNS). Os gestores locais precisam disponibilizar local adequado para formação dos agentes dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBS), adquirir o kit de uso individual (boné, mochila impermeável e colete) e o kit satelital para aulas remotas. O repasse será feito em parcela única após a confirmação do número total de adesões, de agentes matriculados e de preceptores.

Reportagem: Paloma Custódio

Fonte: Brasil 61

ÚLTIMAS NOTÍCIAS