InícioNotíciasProdutores amargam prejuízos com excesso de chuvas

Produtores amargam prejuízos com excesso de chuvas

Depois de perdas que ultrapassaram R$ 20 milhões com a estiagem nos primeiros meses do ano, a agricultura de Içara projeta prejuízos também com o excesso de chuva dos últimos dias. Os levantamentos sobre os estragos às lavouras no município ainda estão sendo realizados, mas a perda já é sentida pelos produtores de soja.

“As lavouras de soja que estão prontas para a colheita não serão colhidas no tempo correto e vão acabar apodrecendo e/ou brotando. Mesmo que a chuva tenha parado, o agricultor não consegue entrar na lavoura para colher porque o solo está muito encharcado. Mas ainda não quantificamos isso. Os prejuízos serão mais sentidos na semana que vem”, explica Luiz Fernando Burigo Coan, engenheiro agrônomo da Epagri em Içara.

Com cerca de 90 hectares plantados, nas regiões do bairro Aurora, da Terceira Linha e às margens da BR-101, o produtor Edson Milioli conta que já havia transformado em ração em torno de mil sacas de soja, com a qualidade comprometida em virtude do excesso de chuvas ocorrido em março.

Com lavouras em diferentes estágios, ele ainda tem em torno de 45 hectares a serem colhidos. “As que estão em fase de desenvolvimento, vão aguentar mais. Das que estão no ciclo final, acredito que vamos perder entre 5 e 10%. Se o clima não esquentar muito depois de parar a chuva, é mais interessante para não brotar”, comenta Edson.

Outras lavouras

O presidente da Cooperativa da Agricultura e Pesca Familiar de Içara (Coopafi), Fabiano Bortolatto, afirma que os cooperados irão se reunir nesta sexta-feira, dia 6, para avaliar os danos a outras lavouras. “Houve perdas, mas ainda não sabemos quanto”, aponta.

O secretário de Agricultura de Içara, Silvio João Viana, diz que a pasta também está levantando informações sobre os prejuízos. “A perda deve ser considerável na produção de soja, nas lavouras que estão para colher, mas outras culturas também podem ter sido afetadas. O milho de silagem deu uma atrasada, mas espero que não tenha tanta perda”, cita.

Estradas

Em relação às estradas rurais, o secretário informa que nenhuma sofreu danos a ponto de ser interditada. “Mas o município fez um trabalho de revestimento e a chuva leva embora o areão. Agora, é esperar acalmar o tempo para repor e fazer o patrolamento”, declara.

O secretário estima que boa parte dos cerca de 20 quilômetros de estradas de chão em Içara vão precisar ser restauradas. “O município tem a maior extensão de estradas rurais da região”, ressalta.

Colaboração Andreia Limas, Canal Içara

Foto: Divulgação Jornal Gazeta