Prefeitos da AMREC pedem aos deputados apoios às pautas do Sul

Os prefeitos da AMREC realizaram nesta sexta-feira (22/05) um encontro com deputados estaduais pedindo apoio às reinvindicações regionais como estiagem; o pagamento das Emendas Parlamentares; e o funcionamento do transporte coletivo. A volta das cirurgias eletivas também esteve na pauta, mas em tom de agradecimento e pedindo acompanhamento dos casos, já que o Governador Carlos Moises anunciou esta semana a retomada. Os prefeitos da AMREC, assim como o presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia, assim como os deputados Rodrigo Minuto e Luiz Fernando Vampiro participaram da reunião de forma presencial. Já o deputado José Milton Scheffer e a deputada Ada De Luca, assim como os presidentes das Câmara de Vereadores da AMREC participaram de forma virtual.

O presidente da AMREC, Jaimir Comin pediu atenção os deputados aos problemas que a estiagem vem causando, principalmente no caso da agricultura, mas que o problema já vem causando reflexos no abastecimento de água. Os prefeitos solicitam recursos para perfuração de poços artesianos e contratação de carros pipas principalmente para o abastecimento da agricultura. O presidente do Colegiado de Defesa Civil, Natan Filipe Souza, chegou a sugerir que o Estado decrete situação de emergência, como forma de facilitar o atendimento a todos os municípios questão enfrentando dificuldades com a falta de água.

O deputado José Milton sugeriu um oficio em nome de toda a bancada do Sul pedindo ao Governador a liberação de todas as emendas parlamentares de 2020 para área da saúde, e da liberação de insumos para agricultura. Já a deputada Ada De Luca reclamou da falta de pagamento das emendas, citando emendas pendentes de 2018 e 2019.  O presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Tita Beloli, cobrou a liberação das linhas de créditos prometidas para agricultura, via Badesc.

Reabertura das escolas e transporte coletivo

O presidente da ALESC, Júlio Garcia, disse que Santa Catarina vem se saindo bem com a pandemia, muito porque a população vem seguindo as regras e recomendações. Afirmou que a pior crise ainda está por vir, que é a econômica e que pessoalmente concorda com as aberturas das atividades comerciais e a volta do transporte coletivo, destaque seja seguido as orientações e protocolos, incluindo as atividades escolares. “Muitos vão ter problemas psicológicos”, se referendo a troca dos hábitos de frequentar as escolas. Segundo eles as instituições de ensino, poderia estar recebendo 20% da capacidade todos os dias.

Colaboração/ Antônio Rozeng

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Idosos de Bom Jardim da Serra são surpreendidos por um Orleanense com visita musical

A última quinta-feira (24) foi animada para os idosos na Capital da Águas, a equipe do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS,...

LAGUNA | Registrou quatro novos casos de Covid ontem

O setor epidemiológico da prefeitura de Laguna informou ontem domingo, 27, mais quatro novos casos de contaminação pelo novo coronavírus na cidade. Não tivemos...

CBF e clubes mantêm proibição de torcedores em jogos do Brasileirão

Os torcedores de futebol deverão permanecer fora dos estádios durante os próximos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. Em decisão anunciada na tarde deste sábado (26),...

Briga por cocô de cachorro acaba em morte em Blumenau

Uma discussão antiga entre vizinhos acabou em morte na tarde deste sábado (26), no bairro Velha Grande, em Blumenau. Segundo a Polícia Militar, o...