Por falta de informações do Estado, retorno do transporte público coletivo em Imbituba e região é adiado para o próximo dia 15

Em assembleia por videoconferência na tarde desta sexta-feira (5), os prefeitos dos municípios que compõem a Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) voltaram atrás e estabeleceram nova data para o retorno do transporte coletivo municipal. Agora, a volta da circulação de ônibus municipais e intermunicipais deve acontecer no dia 15 de junho.

A decisão da última assembleia, que previa para o dia 8 a volta do funcionamento do transporte coletivo, teve que ser revista por conta da impossibilidade de acessar os dados técnicos que o Estado ficou de apresentar, através do que foi chamada de “ferramenta epidemiológica”.

Tanto o decreto estadual recente, que transferiu aos prefeitos a responsabilidade por esse tipo de decisão, quanto à manifestação do Ministério Público, exigem que dados técnicos sobre a situação da pandemia sejam levados em conta para a montagem dos protocolos necessários às atividades.

Para o prefeito de Imbituba e presidente da Amurel até esta sexta-feira, Rosenvaldo Júnior, a medida foi acertada. O gestor explica que, em Imbituba, a semana a mais irá servir para ajustar os últimos detalhes do protocolo para retomar o transporte com a máxima segurança ao usuário. Ele revelou que o município já pensava em adiar a data para o retorno dos ônibus, ante os oito casos da Covid-19 registrados em Imbituba em apenas 72 horas, de quarta para sexta-feira.

“Antes de retornarmos o transporte, precisamos de um protocolo que traga segurança ao seu funcionamento. Estamos trabalhando nisto esta semana. Funcionários da empresa Santo Anjo já foram testados, vacinados e orientados. Estamos programando sanitização do terminal. Agentes de saúde, treinados, vão acompanhar as viagens nas primeiras semanas, orientando os cuidados necessários”, explica Rosenvaldo, que renunciou à presidência da Amurel, em respeito e legislação eleitoral, já que estuda uma possível candidatura às próximas eleições.Em seu lugar, assumiu o prefeito de Treze de Maio, Clésio Bardini de Biasi.

Como a ferramenta prometida pelo Estado ainda está inacessível, os prefeitos decidiram criar um Comitê Extraordinário de acompanhamento da pandemia na região, formado por um profissional de cada município a fim de analisar e medir os riscos sanitários. Estes números serão levados em conta para a confecção dos protocolos necessários para o funcionamento das atividades, como o transporte coletivo. Ainda assim esses protocolos devem ser aprovados pela vigilância sanitária estadual.

Já para o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, que foi defensor da volta do transporte público já na próxima semana, o adiamento representa mais sofrimento à população, que aguardava a medida.

“Mais uma vez os prefeitos foram pegos de surpresa por uma medida do Governo Estadual que não se concretizou. Os usuários do transporte coletivo, que já são bastante prejudicados com a atual situação, terão que esperar até que seja possível definirmos a esperada volta da atividade”, enfatiza Ponticelli.

Com informações A Hora

ÚLTIMAS NOTÍCIAS