Polícia Civil identifica homens que aplicaram golpes em lotéricas de SC e de diversos estados do país

A Polícia Civil identificou dois homens que aplicavam golpes contra lotéricas em vários Estados. A ação é de policiais civis de São João do Oeste e teve o apoio do Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, da Polícia Rodoviária Federal e de policiais Civis de Pernambuco, Goiás e da Bahia.

Uma lotérica de São João do Oeste foi lesada em mais de R$ 93 mil. Então, em maio foi instaurado inquérito policial para apurar o crime. Os responsáveis foram identificados e ficou constatado que eles atuavam em diversas cidades de Pernambuco. Um deles agiu também na Bahia e em Goiás. Houve representação de medidas à Justiça, que deferiu o bloqueio de bens e prisões cautelares, mas os suspeitos ainda não foram localizados e estão foragidos.

Segundo o delegado Cléverson Luis Muller, os golpistas se passavam por servidores da Caixa Econômica Federal para aplicar os golpes, alegavam supostos problemas técnicos e pediam que os servidores das lotéricas efetuassem transferências e pagamentos de boletos, e o dinheiro caía na conta de terceiros.

Policia Civil SC

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Meu CPF simplifica serviços on-line junto a Receita Federal

Visando o aumento significativo na demanda por atendimento para obter serviços relacionados ao CPF nas unidades físicas, a Receita Federal lançou no site uma...

PM em Blumenau conta com dois novos integrantes

A partir de novembro, o 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) contou com novos reforços na Companhia de Patrulhamento Tático (CPT), em Blumenau. Os dois...

Polícia Civil prende suspeito de latrocínio de idosa de 91 anos

A Polícia Civil prendeu um homem suspeito de latrocínio (roubo seguido de morte) de uma idosa de 91 anos em Papanduva. A ação é da...

Galinhas substituem agrotóxicos em ação contra veneno na agricultura

A presença de insetos é uma frequente preocupação para agricultores. Os animais são capazes de prejudicar plantações e, para evitá-los, é comum que fazendeiros...