Pix ganha função para devolução de valor transferido

O Pix, método de pagamento instantâneo desenvolvido pelo Banco Central (BC), passa a contar com mais uma medida de segurança. A ferramenta digital vai possibilitar que haja devolução de valores. Isso deve agilizar no ressarcimento às vítimas de fraude ou de falha operacional das instituições financeiras. A implantação aconteceu nesta terça-feira, 16, data em que faz exatamente um ano de sua entrada em operação.

Segundo o BC, desde junho o mecanismo vinha sendo implementado, a partir de uma resolução da autarquia financeira federal. Antes disso, numa fraude ou falha, as instituições envolvidas precisavam estabelecer procedimentos operacionais bilaterais para devolver o dinheiro. Isso dificultava o processo e aumentava o tempo necessário para que o caso fosse analisado e finalizado. Com o Mecanismo Especial de Devolução, as regras e os procedimentos serão padronizados.

Mais cedo, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto anunciou, sem prever datas, que para os próximos anos o Pix poderá ser usado em operações sem acesso à internet e em transações internacionais. Dados da autarquia apontam que até outubro deste ano, cerca de sete bilhões de transações ocorreram por meio do sistema, o que representa uma movimentação de R$ 4 trilhões. O recorde diário de transações ocorreu no último dia 5 de novembro, com 50.045.289 operações.

Com informações do Agora Laguna

Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 4)
Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 5)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS