Orleans : Vereadora Mirele levanta bandeira contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes

A vereadora Mirele Debiasi, presidente da Casa Legislativa de Orleans, utilizou a tribuna na sessão ordinária desta segunda-feira, dia 17, para conscientização a respeito do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado hoje, dia 18 de maio. O crime pode ocorrer em várias idades (incluindo bebês) e em todas as classes sociais, podendo ser em forma de abuso ou exploração.

Confira a diferença entre abuso e exploração sexual:

  • Abuso sexual: a criança é utilizada por adulto, ou até um adolescente, para praticar algum ato de natureza sexual;
  • Exploração sexual: usar crianças e adolescentes com propósito de troca ou de obter lucro financeiro ou de outra natureza em turismo sexual, tráfico, pornografia, ou também em rede de prostituição.

“Quero aproveitar este espaço para falar de um tema que é bastante importante e que vemos constantemente em nossa sociedade. O dia 18 de maio serve para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Acontece todos os dias, não só no município de Orleans, e é tão triste quando a gente ouve que uma criança está sendo explorada. Dói no coração”, afirmou ela.

Na ocasião, Mirele divulgou dados em nível nacional, estadual e municipal. “Segundo dados nacionais, em 2019, 86,8 mil registros de violação de direitos de crianças e adolescentes foram feitos pelo Disque Direitos Humanos, tendo um aumento de 14%. A violência sexual figura em 11% destas denúncias, o que equivale a mais de 17 mil ocorrências. Em Santa Catarina, com dados de meados de 2020, foram 675 crimes de estupro contra menores. Em Orleans, solicitei os dados ao Conselho Tutelar, que é quem atua na prevenção e no auxílio às vítimas, e prontamente recebi os relatórios desde o mês de janeiro. Somente em 2021, temos 10 casos acerca deste tema em nosso município”, apontou.

A vereadora ressaltou ainda a respeito da importância da conscientização, alertando principalmente as vítimas que, em sua grande maioria, não têm a percepção do que é o abuso sexual. “É de extrema relevância que a gente comece a trabalhar este tema, em especial nas escolas. Muitas crianças não têm noção de quando elas estão sofrendo violência. Na maior parte dos casos, quem comete violência sexual é alguém próximo à criança. Então, ela não tem ainda conhecimento para identificar que aquilo é algo errado”, argumentou. Entre os canais de denúncia – além do Disque 100, 181 e 190 – está o WhatsApp do plantão do Conselho Tutelar de Orleans, através do número (48) 98833-9180.

Reportagem: Enviada pela Vereadora Mirele Debiasi de Orleans – SC

ÚLTIMAS NOTÍCIAS