Onda de vandalismo gera prejuízos em Tubarão

Mais um caso de vandalismo foi registrado em Tubarão. Na madrugada de ontem, lixeiras instaladas entre a Praça do Avião e a pista de skate, no bairro Aeroporto, foram quebradas.

O lixo que estava dentro das estruturas ficaram espalhados pelo chão. Segundo o secretário de Segurança, Trânsito e Patrimônio de Tubarão, Evandro Almeida, imagens de uma câmera de segurança instalada na Arena Multiuso poderão ajudar a identificar os autores do crime. “A Guarda Municipal está sempre nessa região, tentando ao máximo inibir esses e outros crimes, mas infelizmente não temos efetivo suficiente para que uma viatura fique ali 24h. Agora vamos analisar as imagens e ir atrás de quem cometeu esse delito”, explicou Evandro.

A câmera citada pelo secretário foi instalada no começo deste ano, após pedidos dos próprios skatistas e moradores à Câmara de Vereadores. As imagens podem ser acessadas pela GM durante o horário de trabalho dos agentes.

Além da pista de skate, outros pontos da cidade têm sofrido com a ação de vândalos e ladrões. O coordenador da Cosip (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública), Everson Barbosa Martins, explica que o maior desafio que o órgão encontra hoje é frear os problemas causados por pessoas mal-intencionadas.

“O parque linear, a praça Sete de Setembro, atrás da Casa da Cidade e as pontes são onde temos mais registros de vandalismos e furtos em Tubarão. Quando assumi a Cosip, há três meses, faltavam 50 lâmpadas na beira-rio. E, mesmo trocando, o problema se repete quase todos os dias”, calcula Everson.

Para coibir o furto de lâmpadas no parque linear, a Cosip realiza um estudo para fazer a troca das luminárias. A ideia é que elas sejam de um modelo diferente, que não permita ou dificulte o furto das lâmpadas e da fiação. “Há um mês, mudamos toda a tubulação por onde passam as fiações nas pontes da cidade. Antes, os fios passavam por um cano de PVC. Agora, alteramos a estrutura e eles ficam dentro de um ferro mais forte e chumbado. Depois dessa melhoria, o problema não se repetiu”, explica Everson.

“Além dos prejuízos, é muito difícil encontrar quem pratica os crimes. São pessoas que ficam rodando essas áreas, na madrugada, quando não há ninguém por perto. Por isso, estamos tomando medidas e pensando em alternativas que possam evitar isso”, conclui o coordenador da Cosip.

Com informações do DS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS