Nuvem de gafanhotos permanece na Argentina e deve seguir para o Uruguai

O Governo do Estado de Santa Catarina permanece acompanhando a situação da nuvem de gafanhotos em deslocamento no território da Argentina. Um grupo de trabalho composto por técnicos da Defesa Civil Estadual (DCSC), Epagri, Cidasc, Secretaria de Estado da Agricultura e Corpo de Bombeiros Militar foi criado para tratar do assunto. Já o monitoramento dos insetos é realizado através da Epagri e DCSC.

Nas últimas 24 horas a nuvem de gafanhotos não apresentou grande avanço em função das baixas temperaturas e se encontra na Província de Corrientes, na Argentina. A possibilidade de chegada ao território catarinense permanece remota.

A trajetória dos gafanhotos para os próximos três dias foi demonstrada de forma simulada por pesquisadores da EpagriI. Segundo eles, os cálculos apontam que a nuvem deve seguir para o Uruguai.

Projeção realizada por pesquisadores da Epagri.

O estudo utiliza o modelo Noaa Hysplit, que têm como base o comportamento da espécie e medidas climáticas da região. Da mesma foram o modelo climático Global Forecast System (GFS) foi utilizado.

A altura de voo do inseto pode interferir no deslocamento junto com as condições climáticas. No caso de um voo de 50 e 100 metros acima do nível do solo, mais comum para esta espécie, os insetos poderão chegar nos próximos três dias ao Departamento de Rivera, no Norte do Uruguai. Caso a altura seja de 200 metros acima do nível do solo, o possível destino é Cerro Largo, na região Nordeste do território uruguaio.

Além de projeções o acompanhamento é realizado através de informações repassadas pelo Serviço Nacional de Segurança e Qualidade Alimentar da Argentina (SENASA), Ministério da Agricultura do Brasil e a Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul.

Atenção

É importante destacar que não existe até o momento a necessidade de ação preventiva pelos produtores rurais. O uso indiscriminado de agrotóxicos nesta fase é considerado desperdício de recursos e pode causar impactos negativos no meio ambiente, atingindo insetos polinizadores e prejudicando diversas culturas.

Caso ocorra alteração na situação, a Defesa Civil e a Secretaria da Agricultura emitirão alertas para os agricultores e profissionais da área. Mai informações estão disponíveis para os agricultores nos escritórios municipais da Cidasc ou Epagri.

Ana Ceron: Assessoria de Imprensa Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Forquilhinha amplia o horário de atendimento do Centro de Triagem Coronavírus

O Centro de Triagem Coronavírus está com o horário de atendimento ampliado em Forquilhinha. O local agora funciona todos os dias, das 7 às...

Governo do Estado cria projeto de apoio à recuperação da infraestrutura rural e pesqueira

Os produtores rurais e pescadores de Santa Catarina contarão com o apoio do Governo do Estado para recuperação de infraestruturas danificadas após a passagem...

Quatro detentos arrombam cela e fogem do Presídio Regional de Tubarão

Na madrugada deste sábado, 11, quatro detentos fugiram do Presídio Regional de Tubarão, localizado no bairro Bom Pastor. Eles estavam em uma cela separada,...

‘Lua dos Cervos’ e eclipse retratados em fotos espetaculares

Na última semana, aconteceram dois fenômenos astronômicos muito legais: a ‘Lua dos Cervos’ e o eclipse penumbral do nosso satélite. Mas calma, a gente te explica o que...