Neste domingo tem Live Histórica do Surfemais, com os primeiros surfistas imbitubenses, pioneiros que irão contar suas incríveis histórias

Década de 60, Imbituba começava a respirar surf e entrar para a história. Paulo Sefton, Tony Catão, Roberto Perdigão, Arnaldo Spyer, Fumaça, Rico de Souza, André di Biasi, entre muitos outros, desbravaram a ondas de Imbituba, mas, uma parte de toda essa história não havia sido contada como deveria ainda ou, quase foi esquecida.

Tudo começou lá em meados da década de 60. Três amigos que se conheciam numa cidade ainda pequena, que mais parecia uma vila, e recém havia se emancipado de Laguna (1958), pela segunda vez. A primeira foi em 1923, só pra constar.

Três imbitubenses e a mítica prancha de madeira

A história contada, e a família Sefton como os principais desbravadores de Imbituba. Na foto, Fernando Sefton, pai de Paulo e Mico Sefton, pelas informações, anos 60. Foto: Arquivo pessoal.

A história desses três moleques, segundo contam, girou em torno de duas pranchas de madeira da época, além, é claro, de se divertirem nas dunas da praia da Vila e sua vegetação rica em butiás. Grandes, pesadas e que davam mais trabalho ainda quando tinham que carregá-las de volta pra casa, dada a quantidade de água que acumulavam.

Filhos de famílias tradicionais da Imbituba passaram a infância se divertindo, como não poderia deixar de ser. Numa época áurea da cidade, em que não havia ainda a sombra da ICC – Indústria Carboquímica Catarinense -, o porto não tinha o grande molhes, a praia do Porto era um paraíso sem poluição, e surfistas, hoje consagrados na história do surf nacional, de outros lugares do Brasil e do mundo, desbravaram suas ondas, principalmente, as da praia da Vila, hoje uma das mecas do surf brasileiro e mundial.

Tadeu, Zoca e Lilico: Quase 60 anos depois e o primeiro imbitubense em pé numa prancha


Praia do Porto, Imbituba, anos 50 ou 60, dueante a pesca de baleias. Foto: Arquivo histórico Imbituba.

Tadeu Cardoso, Cesar Francisco, ou Zóca, e José Henrique Costa, o Lilico, vão esclarecer, em detalhes como, aparentemente, eles foram os primeiros surfistas nativos de Imbituba. São quase 60 anos desde a primeira vez que ficaram em pé em cima de uma das pranchas que os rodeavam há época. A diversão em suas adolescências se tornou parte de uma longa história contada até hoje, que envolvem desde nativos, até cariocas, gaúchos e paulistas.

A live do Surfemais deste domingo (17) acontece a partir das 19 horas, ao vivo pelo Surfemais no Youtube (clicando aqui) e contará, além da presença dos três, mais alguns convidados surpresas.

A Live do Surfemais tem o apoio da Pizzaria Dona Villa, @cervejaimbé e RF Distribuidora/Cerveja Blumenau. Ao vivo, neste domigo , a partir das 19 horas.

 

Com informações do Portal A Hora

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Volkswagen vai indenizar vítimas da ditadura no Brasil

"Investigações apontaram que montadora alemã colaborou de maneira sistemática e ativa com o regime militar brasileiro. Agora, ex-funcionários perseguidos deverão receber R$ 36 milhões...

Fila de pessoas com deficiência aguardando BPC bate 500 mil

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo Rolim, afirmou nesta quarta-feira (23) que mais de 500 mil pessoas com deficiência estão...

Quase 500 mil brasileiros perderam a vida no trânsito na última década, segundo Ipea

Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostrou que o Brasil perdeu  479.857 vidas no trânsito entre 2007 e 2018. Nesse período, o custo...

Treviso: Esgoto a céu aberto é tema de indicação

Moradores do Loteamento Nova Esperança estão insatisfeitos com o esgoto a céu aberto. A população procurou o Legislativo e o tema motivou uma indicação...