MÚSICA | Sul-cocalense lança música autoral

Era uma vez um menino que morava numa pequena cidade chamada Cocal do Sul. Ele vivia no mundo da lua desenhando os personagens que gostava, criando histórias e desenvolvendo sua sensibilidade com os recursos das artes visuais. Aos nove anos seus olhos brilharam assistindo videoclipes de rock. No dia do aniversário de dez anos ganhou sua primeira guitarra. O tempo passou, ele cresceu no tamanho e na aprendizagem. E, agora, aos 17 anos, compôs e interpretou a música Incertezas. Seu nome artístico é Vittor Souza e seu trabalho está sendo lançado nas plataformas digitais neste início de dezembro.

A inspiração para a canção surgiu no começo do isolamento social enquanto Vitor relaxava para a prática da meditação. Cantarolando o refrão, ele decidiu escrever a letra na primeira pessoa. “Eu quis falar sobre uma relação onde uma das pessoas relembra a outra que se foi e tem esperanças de que um dia volte. E ela conclui que mesmo que demore um tempo, ou não volte nunca mais, o que importa é que os dois transformaram aquele amor em algo maior. Seja numa amizade, numa boa lembrança ou num filho”, explicou o compositor.

A família de Vitor Rodrigues de Souza sempre foi muito musical. Pedro, o avô fez parte da dupla caipira Tarciso e Teixeira. A avó Leci cantava por prazer. O pai ainda canta e toca violão. Ele tem três violões, duas guitarras, um cavaquinho e uma viola caipira que ganhou do avô. No final do ano pretende comprar um teclado porque é apaixonado e sente-se motivado por Guilherme Arantes.

Por não ter onde estudar guitarra, começou a frequentar aulas de violão durante um ano e depois iniciou uma fase autodidata. Descobriu que sua paixão estava mesmo neste instrumento, por mais que amasse os solos gigantescos do rock e os espetáculos vocais. A partir de 2015 seus ídolos mudaram. Passou a ser mais um grande fã de Renato Russo e descobriu músicas que tinham letras mais sofisticadas e poéticas. “Logo depois conheci toda turma dos poetas do Rock Nacional, como Cazuza, Humberto Gessinger, Frejat, Lobão e Nando Reis. Hoje, minhas influencias continuam sendo um pouco do rock, mas também vem grande parte dos nomes da MPB e Bossa Nova como Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Zé Ramalho, Roberto Carlos, Djavan, e entre tantos outros”, comentou.

O amigo Arthur Saraiva o motivou a compor algumas canções para uma banda que tinham e que acabou sem deixar um nome para registro. Foi nestes ensaios que nasceu a primeira música autoral. Flor de Anêmona era uma das quatro músicas de um EP caseiro lançado no You Tube. Ela também foi tocada nos festivais da Escola Cristo Rei. Mas, agora não está mais no ar porque Vitor considera que não representa o trabalho mais profissional que ele quer apresentar. Com a ajuda do produtor Fernando Albuquerque, uma nova etapa inicia com Incertezas que está disponível nas plataformas digitais Spotify, Deezer, Google Play Music e Youtube.

Contatos com Vitor de Souza podem ser feitos no Instragram @vittorsouza.musicas

INCERTEZAS

Meus olhos exalam tintas que visam desenhar seu retrato

Pra lembrar o seu rosto, decifrar

As entrelinhas que rimam se corpo.

Concebi uma miragem, sonho e intuição

Me veio a sua imagem, feito signo da perfeição

E eu me lembrei das palavras que deixastes pra mim

Só assim, pude inspirar o ar que vive aqui.

Por hoje

Deixei as incertezas fluírem as perguntas que vão decidir

Se nosso afeto vai brilhar, ou se há de ruir

Os sopros da vida vão trilhar as esquinas até

Nossas almas reencontrar, o amor despertado

Pelo beijo que ficou, anos atrás.

Meus olhos se perdem sempre que lembro

Do sabor do silencio a unir nossos corpos

Dedicados ao mesmo prazer

Transcendendo momentos levados pela carruagem do tempo.

Por hoje

Deixei as incertezas fluírem as perguntas que vão decidir

Se nosso afeto vai brilhar, ou se há de ruir

Os sopros da vida vão trilhar as esquinas até

Nossas almas reencontrar, o amor despertado

Pelo beijo que ficou, anos atrás.

O Tempo que for eu aceito

Pois o que importa é a semente

Germinada em nosso leito.

Ana Lúcia Pintro: Professora Matemática (Criciúma e Cocal do Sul)/ Acadêmica de Jornalismo (SATC)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS