Municípios da Amurel contestam reportagem de jornal que supõe aplicação de vacinas vencidas

Uma reportagem publicada nesta sexta-feira (2) por um jornal de São Paulo aponta que pelo menos 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca foram aplicadas em diversos postos de Saúde do país.

O levantamento foi baseado no cruzamento de dados oficiais do Ministério da Saúde. Na lista aparecem três cidades da Amurel: Tubarão (com 104 doses), Imbituba (5) e Gravatal (2).

Segundo a reportagem, os municípios da região teriam recebidos um lote da AstraZeneca identificado como 4120Z005, cuja validade expirou em 14 de abril, e que 70% das doses ministradas no país após a validade seriam desse lote.

As secretarias de Saúde negam que o problema tenha ocorrido e atribuem os dados equivocados do levantamento a uma falha dentro dos sistemas em que as informações são registradas.

TUBARÃO E IMBITUBA AFIRMAM QUE VACINAS FORAM APLICADAS DENTRO DO PRAZO

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Tubarão informou por meio de nota que o município recebeu 1.030 doses do lote citado no dia 25 de janeiro de 2021 e que todas essas vacinas foram aplicadas na Policlínica Central e em ações drive-thru, entre os dias 1º e 24 de fevereiro, portanto dentro da validade do lote.

A FMS destacou ainda que constatou que “o sistema de lançamento das vacinas aplicadas do Ministério da Saúde transforma a data da aplicação informada, no estilo DIA/MÊS/ANO, para o estilo americano, MÊS/DIA/ANO. Assim, por exemplo, uma vacina aplicada no dia 05/02/2021, aparece no sistema como 02/05/2021. Talvez tenha sido essa a informação na qual a reportagem do jornal se baseou”.

A Secretaria Municipal de Saúde de Imbituba informou que também recebeu o lote 4120Z005 no dia 25 de janeiro deste ano e que as doses foram aplicadas nos meses de fevereiro e março, em sistema drive-thru, portanto, antes da data prevista para o encerramento da validade de aplicação do lote.

A Secretaria de Saúde de Gravatal declarou que “irá apurar os dados, mas que provavelmente deva ter ocorrido a mesma distorção.

SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE TAMBÉM CONTESTA DADOS PUBLICADOS PELA FOLHA

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES) também emitiu uma nota de esclarecimento sobre a informação levantada pela Folha de São Paulo. Segundo a reportagem, em todo o estado, seriam 53 municípios catarinenses que teriam aplicado 732 doses da vacina AstraZeneca cujos lotes estavam fora do prazo de validade.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) publicou a nota de esclarecimento na tarde desta sexta-feira (2). Confira:

“A Diretoria identificou que vários destes registros se trata de erro de vinculação de lotes, ou seja, erro de registro que demandam correção imediata. Um ofício foi encaminhado aos municípios para que investiguem caso a caso, corrijam e deem um retorno ao Estado até segunda-feira, 5. Vários municípios já entraram em contato com a Diretoria, informando que já estão corrigindo os problemas apontados.

A DIVE, responsável pelo recebimento, armazenamento e logística de distribuição de imunobiológicos encaminhados pelo Ministério da Saúde (MS) para os 295 municípios catarinenses, segue padrão rigoroso de conferência de todos os prazos de validade nos procedimentos de recebimento e distribuição, e não envia fora do prazo de validade para os municípios.

A Diretoria também orienta os municípios de forma permanente, por meio de ofícios e notas técnicas, sobre a necessidade de observação dos prazos de validade das vacinas, bem como para a aplicação de boas práticas na gestão da Rede de Frio, de forma a manter a qualidade e segurança dos imunobiológicos.

Caso algum município aponte a ocorrência de aplicação da dose da vacina contra a Covid-19 com lote após o prazo de validade, deverá reportar à Diretoria para ser analisado.”

Com informações do portal A Hora

ÚLTIMAS NOTÍCIAS