Municípios buscam alternativas para o verão

Os municípios de Laguna e Imbituba começam a estudar alternativas para a temporada de verão, levando em conta a pandemia do coronavírus. Em Imbituba, por exemplo, a festa pública do Réveillon foi cancelada e na Cidade Juliana ainda se pensa em uma forma para comemorar a data.

De acordo com o secretário de Turismo de Laguna, Evandro Flora, tudo ainda dependerá de como será daqui pra frente em relação à pandemia. “Estamos avaliando alternativas e tendo algumas ideias para a temporada junto ao Conselho Municipal de Turismo e também conversando com os secretários de Garopaba, Imbituba, Jaguaruna e Rincão, para estudarmos propostas em conjunto”, conta.

“Temos que pensar  em alternativas porque os turistas estão vindo e ainda virão mais para a temporada. A procura já começou. Ainda não decidimos o que faremos, mas a decisão está sendo muito bem pensada”, completa Evandro.

Já em Imbituba, o prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior diz que está sendo estudada a forma de fazer com que o turismo seja retomado para a temporada, mas seguindo todos os protocolos de saúde para garantir a segurança de moradores e turistas. “Também dependemos dos decretos estaduais e toda a situação da pandemia que irá se desencadear daqui pra frente”, reforça.

Virada do ano

As festas de Réveillon também estão sendo estudadas pelos municípios. Em Imbituba, a prefeitura já cancelou o evento público, mas pensa em alternativas para os turistas, veranistas e moradores. Em Laguna, o secretário de Turismo, Evandro Flora, diz que algumas ideias estão sendo pensadas para que a data não seja passada em branco. “Já pensamos em fazer um grande show pirotécnico no alto do Morro da Glória, sem a presença do público, mas que poderá ser visto por todos os lados. Também já tivemos ideias sobre a realização de uma live com alguma banda para que as pessoas possam comemorar de suas casas ou hotéis. Enfim, nada foi definido ainda, mas estamos estudando formas de fazer um Réveillon com segurança”, pontua.

Santur pesquisa sobre turismo pós-pandemia

Qual destino de Santa Catarina o turista pretende visitar depois da pandemia causada pelo novo coronavírus? O que muda na lista de prioridades? Que aspectos serão mais relevantes para os viajantes que tenham planos de circular pelo Estado? Essas e outras questões compõem a pesquisa que a Agência de Desenvolvimento do Turismo (Santur) lançou para conhecer a intenção de viagens ao Estado pós-pandemia.

O levantamento também vai reunir informações sobre a sensação de segurança dos turistas em relação a Santa Catarina e que premissas são consideradas no momento de escolher o destino.

“Para alguns, podem ser aspectos relacionados à estrutura, para outros, as medidas sanitárias adotadas ou um menor fluxo de turistas no local a ser visitado. Conhecer o comportamento do turista depois da pandemia nos ajudará a nortear ações e políticas para o turismo catarinense”, explica o presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari.

Uma avaliação do impacto da crise no orçamento familiar e as prioridades de gastos no momento também serão coletadas, além de informações sobre os segmentos turísticos preferidos, tipo de hospedagem, meio de condução a ser utilizado e qual a distância o viajante está disposto a percorrer. A participação na pesquisa estará aberta até dia 7, por meio de formulário eletrônico disponível no www.sc.gov.br.

Com informações do Diário do Sul

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Criciúma | CDL reúne lojistas e profissionais do varejo para cocriar o Natal 2020

"Evento realizado virtualmente teve como intuito construir de forma coletiva a maior data do comércio". A manhã desta sexta-feira (18) foi marcada pela inovação, criatividade...

Produtores de arroz de SC não são responsáveis pelo preço

Os altos preços pagos pelo arroz alcançaram uma pequena parcela dos produtores catarinenses, avalia Gláucia Padrão, analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola...

Mulheres são responsáveis por 60% das inscrições do Enem 2020

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirma que as mulheres correspondem a 60% das inscrições confirmadas para o Exame...

Mais da metade dos brasileiros não teria R$ 200 para uma emergência

Pesquisa PoderData fez a seguinte pergunta aos entrevistados: “Se você tivesse uma emergência e precisasse de R$ 200? Você teria esse dinheiro disponível?“. Só 40% dos...