Mulheres desafiam Talibã e protestam por igualdade em Cabul

Mulheres ativistas realizaram um protesto em Cabul, no Afeganistão, nesta sexta-feira, 3, demandando igualdade de direitos e maior participação na política do país. Trata-se de um desafio sem precedentes ao grupo extremista Talibã, que defende uma visão retrógrada da sharia, a lei islâmica, em que mulheres não podem trabalhar, sair de casa sem uma figura masculina ou estudar.

Segurando cartazes e cantando slogans, o grupo, chamado de Rede de Participação Política Feminina, se reuniu em frente ao Ministério das Finanças e exigiu um envolvimento no governo afegão e uma lei constitucional.

O ato foi filmado e divulgado ao vivo nas redes sociais pelo próprio grupo. Nele, é possível ver um breve confronto entre um guarda do Talibã e uma das manifestantes. Em agosto, um grupo de manifestantes foi reprimido com violência após protesto na cidade de Jalalabad.

O Talibã discute no momento organização do novo governo, mas já deixou claro que mulheres não poderão ocupar cargos públicos.

Os extremistas afirmaram em mais de uma oportunidade que elas poderão voltar a estudar nas universidades e que terão a possibilidade de trabalhar em algumas profissões específicas.

A população teme um retorno das políticas severas semelhantes ao primeiro governo Talibã , entre 1996 e 2001, que excluiu as mulheres da vida pública.

Reportagem direto da redação da VEJA.Com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS