Mulher é presa em Mateus Leme depois de matar um gato a pauladas

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, alguns crimes ficaram mais evidentes. Um deles, o de maus-tratos a animais. Essa foi a razão da prisão, em flagrante, na cidade de Mateus Leme. Uma mulher de 49 anos foi detida, acusada de ter matado um gato a pauladas. Ela confessou o crime.

Em 29 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro assinou uma nova lei, que trata de maus-tratos a animais (cãos e gatos), intensificando as punições aos agressores.

A vida pregressa da mulher depõe contra ela – segundo vizinhos, ela é conhecida por maltratar animais domésticos. Depois de receberem denúncias, policiais civis estiveram na casa da suspeita, onde puderam constatar que a casa era insalubre e que ela possuía outros animais de estimação.

Numa conversa com os policiais, a mulher confessou que levou o gato até um lote ao lado de sua casa dela, e o matou porque o animal estaria doente. Depois disso, colocou o corpo num saco de lixo e o deixou numa cesta, de uma casa próxima.

As investigações apontaram também que o marido da suspeita, um homem de 53 anos, teria cometido maus-tratos a animais por diversas vezes – ele teria matado dois cachorros a pauladas.

Uma tábua de madeira que teria sido usada para cometer o crime foi apreendida. Seria a mesma arma utilizada para matar os cães.

O homem responderá em liberdade, pois o crime cometido por ele foi há algum tempo. Já a mulher ficará presa. Ela foi encaminhada ao Sistema Prisional, e está à disposição da Justiça.

Reportagem: Ivan Drummond/EM.com.br

ÚLTIMAS NOTÍCIAS