Manipulação de resultados: uma praga que ameaça o futebol mundial

“Atualmente, o faturamento global das apostas ilegais em diversos esportes chega a quase R$ 6,5 trilhões”.

É muito grave e, ao mesmo tempo, preocupante, o pedido de abertura de inquérito feito pelo Brasiliense para que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) investigue dois ex-atletas do clube, que – segundo denúncia de torcedores – seriam suspeitos de manipular o resultado de um jogo da Série D. Com base no Regulamento Geral de Competições da CBF, a diretoria do Brasiliense pede à Procuradoria do STJD que os fatos sejam apurados.

É bom lembrar que o próprio Campeonato Brasiliense de 2021 está sob investigação do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), por supostas mutretas, em jogos da primeira fase, envolvendo as equipes do Formosa e do Samambaia.

Resultados sob suspeita em diversos esportes – e não apenas no futebol – tiveram aumento potencial devido ao crescimento dos sites de apostas nos quatro cantos do mundo. Isso é uma praga que chegou para abalar a credibilidade do esporte, num sistema de corrupção globalizado.

É impossível obter números oficiais sobre as atividades, ocultas por natureza, mas a maioria dos especialistas avalia em mais de 1 trilhão de Euros (cerca de R$ 6,5 trilhões) o faturamento global das apostas. É mais do que o dobro do tráfico de drogas, que, segundo estimativas da ONU, chega a 400 bilhões de Euros (o equivalente a R$ 2,6 trilhões).

Na Itália, clubes importantes como Lazio, Roma e Milan já foram rebaixados para a segunda divisão por causa de envolvimento em jogos manipulados. E o famoso atacante da Azzurra Paolo Rossi, carrasco do Brasil na Copa de 1982, foi suspenso por dois anos, antes de encerrar a sua carreira.

Quando as autoridades fingem que não está acontecendo nada, podem repetir-se episódios como o da Copa do Mundo de 1978, quando a Seleção Brasileira foi claramente prejudicada.

A Argentina precisava vencer o Peru por pelo menos quatro gols de diferença para chegar à decisão do torneio. Caso contrário, o finalista seria o Brasil. E os hermanos fizeram 6 x 0 com extrema facilidade, levantando suspeitas de manipulação de resultado, no auge da ditadura no país.

Somente quatro décadas depois, em entrevista às redes de TV de Lima, José Velásquez, ex-jogador daquele time, disse que seis companheiros seus “se venderam” naquela partida.

Isso significa dizer que, embora seja difícil descobrir e punir eventuais culpados, o Brasiliense está certo em pedir que tudo seja apurado e esclarecido.

Com informações da METRÓPOLES

Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 4)
Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 5)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS