Mais de 2.000 policiais já se afastaram para disputar eleições neste ano

A quantidade de agentes civis que estarão na campanha eleitoral deste ano já é maior do que na eleição de 2016. Pelo menos 2.239 já pediram o afastamento de suas funções para concorrer ao pleito. Os números são de levantamento feito pelo jornal O Globo e publicado neste domingo (6.set.2020).

O prazo para policiais militares e membros das Forças Armadas pedirem afastamento do cargo se encerra em 26 de setembro.

Já o prazo para a maior parte dos policiais civis se licenciar terminou em 15 de agosto. Delegados precisaram se afastar 6 meses antes da eleição para a disputa de vereador e 4 meses para prefeito ou vice-prefeito.

Policiais militares sem função de comando tem prazo maior. Por essa razão, 9 Estados não têm informações sobre o afastamento de PMs para concorrer neste ano. Até o início de setembro, 1.031 policiais militares em 12 Estados deixaram os cargos para se candidatar. O número deve subir até o fim do prazo para o registro. Na eleição municipal de 2016, 3.195 PMs foram candidatos.

No Rio de Janeiro, 354 deixaram as tropas. Em 2016, foram 376. São Paulo não repassou os dados consolidados, mas levantamento encontrou 365 afastamentos publicados em Diário Oficial de policiais militares que vão concorrer à eleição. Estados que tiveram motins, como Espírito Santo e Ceará, não divulgaram os dados totais.

A informação é do Poder 360

ÚLTIMAS NOTÍCIAS