Maior quarentena do mundo, Índia estende isolamento por mais 2 semanas

O governo da Índia anunciou nesta sexta-feira (1º) que vai manter os 1,3 bilhões de habitantes em quarentena por mais duas semanas, até o dia 18 de maio, em uma tentativa de frear o coronavírus.

Com a terceira extensão do confinamento, o país vai chegar a marca de 54 dias sob isolamento.

Até agora, a covid-19 deixou mais de 35 mil infectados e 1.147 mortes no país.

O Ministério do Interior também disse que vai dividir algumas regiões da Índia por zonas de risco, como zonas vermelhas, que apresentam o maior número de casos e de risco de contágio, laranjas e verdes, como as que estão sob controle.

Segundo as autoridades, cada zona terá um nível diferente de relaxamento das restrições. Nas zonas vermelhas, as medidas continuarão mais rigorosas.

Já as áreas consideradas “verdes”, onde nenhum caso positivo foi relatado em pelo menos 21 dias, serão controladas com um regime diferente que permitirá um retorno parcial à normalidade, desde que sejam mantidas as medidas de saúde e segurança.

Zonas de contenção

As áreas mais sensíveis do país onde houve a disseminação intensa do covid-19, as zonas vermelha e laranja, são designadas como “zonas de contenção”, explicou as autoridades, que detalharam que nessas áreas os protocolos de vigilância serão intensificados, com rastreamento de contatos e visitas de casa em casa.

“O controle rigoroso do perímetro deve ser garantido, para que não haja movimentação de pessoas dentro e fora dessas áreas, exceto no caso de emergências médicas, ou para manter o suprimento de bens e serviços essenciais. Nenhuma outra atividade é permitida dentro Zonas de contenção “, relatou.

O escritório do Interior também indicou que em algumas áreas das chamadas áreas vermelha ou laranja, o retorno parcial às operações da indústria farmacêutica, da tecnologia ou da cadeia de suprimentos essencial, bem como do setor de construção, foi permitido, desde que conte com apenas 50% de sua capacidade e que isso não implique no deslocamento de trabalhadores.

São proibidos em todo o país movimentos aéreos, ferroviários, metrô, rodoviários interestaduais, operação de escolas, faculdades e outras instituições de ensino, hotéis e restaurantes, centros públicos de reuniões, como cinemas, shoppings, academias e complexos esportivos.

Relaxamento gradual

Os escritórios privados poderão operar com até 33% de sua força de trabalho, enquanto o restante dos recursos humanos deve continuar trabalhando de suas casas, indicou a ordem que destaca que isso será permitido em todas as áreas verdes e em certas áreas vermelhas e laranjas.

Nas zonas livres de contágio, todas as atividades, exceto as que foram proibidas em todo o país, serão permitidas a partir de 4 de maio próximo, o que inclui a operação de ônibus e táxis, desde que operem com 50% de sua capacidade, o tráfego de mercadorias e a circulação de veículos particulares.

No entanto, todas as atividades não essenciais permanecem proibidas em todo o país entre as 7h até as 19h.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a capital Nova Délhi e o estado de Maharashtra, ao qual pertence a capital financeira de Bombai, estão entre as regiões mais afetadas pelo número de casos e mortes registrados pelo coronavírus, representando 40% dos mais de 35 mil casos e metade dos mortos.

Da EFE

Foto : Adnan Abidi/Reuters

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Desacato e lesão corporal, ocorrência é registrada pela PM de Orleans

A guarnição (PM) em rondas por volta das 02h55min, na SC 108, no bairro Conde D’Eu, na madrugada desse domingo, dia 20,avistou várias pessoas...

Governo cria grupo de trabalho para gerir distribuição de vacina contra a Covid-19

Com o avanço das pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus, o governo brasileiro começa a preparar sua infraestrutura para...

Homem que participou de assalto em festa de empresário é condenado a 22 anos de prisão

Um homem foi condenado pelo juízo da comarca de Bom Retiro a 22 anos de reclusão por assalto praticado em um estabelecimento comercial no...

Governo sanciona lei que regula pagamento de auxílio a trabalhadores

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que regula o pagamento de auxílio para trabalhadores que tiveram redução de salário e jornada ou tiveram...