Lipoaspiração pode beneficiar mulheres com lipedema

“O lipedema ocorre quase exclusivamente em mulheres. Mas também foi observado em homens com desequilíbrio hormonal ou doença hepática”. 

A lipoaspiração melhora a qualidade de vida das mulheres com lipedema, de acordo com um estudo publicado no  Plastic and Reconstructive Surgery.

O lipedema (ou lipoedema) é uma condição crônica que causa um acúmulo anormal de gordura em áreas específicas do corpo. Essa gordura é acompanhada de retenção de líquidos e outras alterações que podem culminar no lipo-linfedema.

Indivíduos com lipedema são frequentemente diagnosticados erroneamente com sobrepeso ou a sua condição é confundida com uma condição de inchaço diferente, conhecida como linfedema. Mas o lipedema é uma condição distinta própria e não trivial. O lipedema é uma doença crônica e progressiva, com implicações únicas na saúde. Requer gerenciamento contínuo dos sintomas para aliviar o desconforto e impedir a progressão para estágios mais avançados, incluindo o lipo-linfedema.

“Uma paciente ‘típica’ de lipedema parece ter a parte inferior do corpo desproporcionalmente acima do peso em comparação com a parte superior. Mas as pacientes com lipedema nem sempre são ‘típicas’, e o acúmulo anormal de gordura é apenas o mais óbvio dos sintomas. Como é uma condição progressiva, os sintomas também pioram e mudam com o tempo”, afirma o  cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.

Entenda o estudo

Pesquisadores da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, conduziram uma pesquisa on-line com 209 pacientes do sexo feminino (idade média, 38,5 anos) com lipedema submetidas à lipoaspiração tumescente para entender as experiências das mulheres com o início e a progressão da doença.

Os autores do estudo descobriram que a maioria dos participantes notou uma primeira manifestação da doença aos 16 anos de idade. O diagnóstico levou uma média de 15 anos. “A maioria das pacientes relatou que a lipoaspiração levou a uma redução significativa na dor, inchaço, sensibilidade e hematomas fáceis”, diz Ruben Penteado, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A prevalência de hipotireoidismo (35,9%) e depressão (23%) nessas pacientes foi superior à prevalência média na população alemã. As entrevistadas apresentavam uma baixa prevalência de diabetes tipo 1 (1,4%) e tipo 2 (1%). Quase um quarto das pacientes com lipedema teve um diagnóstico de enxaqueca (22,5%) e dois terços dessas entrevistadas (68,1%) disseram que a frequência e / ou intensidade dos ataques de enxaqueca diminuíram acentuadamente após a lipoaspiração.

“De acordo com os achados do estudo, a lipoaspiração produz efeitos positivos duradouros em pacientes com lipedema, levando a um aumento acentuado em sua qualidade de vida. A cirurgia não é solução definitiva e nem solução única para o problema. Assim como o tratamento clínico não é perfeito e nem definitivo. Os melhores resultados são obtidos ao fazer uma abordagem ampla. Portanto, serviços que disponham de fisioterapeuta, nutricionista, cirurgião vascular, cirurgião plástico e endocrinologista são os mais indicados”, destaca Ruben Penteado.

Site: www.medintegrada.com.br

Fanpage:@drrubenpenteado

Instagram:@drubenpenteado

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

LAGUNA | Registrou quatro novos casos de Covid ontem

O setor epidemiológico da prefeitura de Laguna informou ontem domingo, 27, mais quatro novos casos de contaminação pelo novo coronavírus na cidade. Não tivemos...

CBF e clubes mantêm proibição de torcedores em jogos do Brasileirão

Os torcedores de futebol deverão permanecer fora dos estádios durante os próximos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. Em decisão anunciada na tarde deste sábado (26),...

Briga por cocô de cachorro acaba em morte em Blumenau

Uma discussão antiga entre vizinhos acabou em morte na tarde deste sábado (26), no bairro Velha Grande, em Blumenau. Segundo a Polícia Militar, o...

A mandioca, gostosa e versátil, faz bem à saúde e foi até o ‘alimento do século’

A mandioca acaba de ser promovida de “alimento dos pobres” para “alimento do século 21”. Quem afirma é a Organização das Nações Unidas para...