Lei Seca: fiscalização será intensificada

A Polícia Militar de Tubarão voltará a intensificar a fiscalização da lei seca na cidade. A medida foi tomada com o crescimento de pessoas circulando em diferentes horários, principalmente durante as noites e madrugadas, em plena pandemia do coronavírus.

“Nos próximos dias, faremos as operações para dar respostas aos que estimulam sair, enquanto deveriam ficar em casa. Então, trabalharemos com força em barreiras para tentar frear os que insistem em se embriagar e ir para o volante”, explica o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Silvio Roberto Lisboa.

Além do aumento da movimentação na cidade com a liberação de algumas atividades, a polícia também vem notando a falta de cuidado de muitas pessoas. “Temos observado, nos últimos dias, um relaxamento maior. São pessoas que não respeitam o distanciamento, não usam máscara e compartilham bebidas e alimentos. Isso é perceptível durante as nossas abordagens”, complementa Lisboa.

No último fim de semana, uma conveniência e um bar de Tubarão foram interditados após desrespeitarem o decreto estadual que prevê os cuidados necessários para evitar a propagação da covid-19. Na conveniência, na avenida Patrício Lima, estavam mais de 150 pessoas, de acordo com a PM. Já no bar, no Andrino, cerca de 20 pessoas estavam sem cumprir o distanciamento. Também não havia álcool em gel na entrada e ninguém usava máscara, segundo as autoridades.

NOVO BAFÔMETRO

Para ajudar durante as operações da lei seca, o 5º BPM adquiriu três novos bafômetros que captam a presença de álcool no ar e não exige do motorista assoprar nenhum bocal. A ponta é luminosa e acende nas cores vermelha, se houver presença de álcool, e verde, se não houver. Segundo o fabricante, até 12 pessoas podem ser aferidas em apenas um minuto. De acordo com a PM, isso torna a fiscalização mais ágil, já que o motorista não precisa descer do carro para fazer a aferição. Atualmente, o condutor embriagado recebe multa de R$ 2,934,70 e responde a processo administrativo para a suspensão do direito de dirigir por 12 meses. Os que excedem os 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido, por sua vez, cometem crime de trânsito e podem ser presos por até três anos.

DS

Foto: Divulgação DS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS