Jovem de Maracajá desenvolve gel para tratamento de pé diabético com baixo custo

Ana Carolina Rossa Burato tem apenas 17 anos e já tem demonstrado um grande potencial dentro da ciência. Estudante do Colégio Murialdo em Araranguá e moradora de Maracajá, Ana e seu colega, Artur Alano Daniel, também de 17 anos, desenvolveram um gel fitoterapêutico que auxilia na cicatrização de feridas em pé diabético, evitando um dos maiores problemas causados pela doença: a amputação de membros inferiores.

A paixão pela pesquisa cientifica começou em 2018, no Colégio Murialdo, quando Ana participou de uma mostra da própria instituição, junto com os colegas de turma. Desde então, Ana e Artur decidiram se dedicar ainda mais e em 2019 a dupla desenvolveu este gel, criado a partir da enzima Bromelina, derivada do abacaxi.

O gel desenvolvido é capaz de diminuir os impactos do pé diabético, uma complicação do Diabetes Mellitus que ocorre quando uma área machucada nos pés desenvolve uma úlcera (ferida). Seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. A condição dificulta a recuperação de ferimentos e permite a entrada de microorganismos, causando infeccções e em casos mais graves, pode levar a amputação do membro afetado.

A jovem explica que o gel auxilia na cicatrização das feridas no estado inicial, mas não é só isso, o custo de produção pode ser de até 10 vezes mais barata que os produtos presentes no mercado. “Até o momento, todos os resultados foram positivos. O custo para a produção de uma bisnaga de 30mg estaria em torno R$ 8, enquanto produtos de funcionamento semelhante custam no mínimo R$ 80”, salienta Ana.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, 85% dos diabéticos que possuem pé diabético, tem os pés amputados. “Com um diagnóstico precoce e o uso do gel, é possível evitar uma amputação, e por ser de baixo custo, ele consegue ser acessível e beneficiar todas as classes”.

Reconhecimento internacional

Em 2019, os jovens divulgaram a sua pesquisa na feira INFOMATRIX, um concurso brasileiro de projetos científicos organizado pela Sociedade Latinoamericana de Ciência e Tecnologia (SOLACYT). Nesta feira, Ana e Artur foram premiados em 1º lugar geral do concurso e ganharam uma credencial para apresentar a pesquisa em Guadalajara (México).

A jovem cientista está realizando uma vaquinha online pois precisa do valor R$ 8 mil para custear a viagem. “Esta ida para o México é algo muito grandioso, pelo fato de ser uma feira internacional. Isto nos ajuda a divulgar a pesquisa e buscar por investidores e pessoas que se interessam, para futuramente ter o gel comercializado” finaliza.

A etapa continental INFOMATRIX, ocorre entre os dias 10 e 14 de março. Para ajudar Ana a realizar este sonho, basta clicar na Vakinha ou fazer uma doação através da conta bancária:

Banco do Brasil
Conta poupança
Nome: Maria Bernardete Trento Rossa
Agência: 5326-0
Conta: 8.403-4
Variação: 51
CPF: 560.268.899-49

Obs: por ser menor de idade, a titular da conta é a avó de Ana.

Com informações do portal W3

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

TST aprova reajuste e determina o fim da greve dos Correios

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu nesta segunda-feira, 21, que os funcionários dos Correios devem receber um reajuste de 2,6% e retomar as atividades a partir desta...

Crianças recebem computador por empréstimo para assistir aulas on-line

O Colégio SESC está promovendo uma ação cidadã para possibilitar que seus alunos que não possuem computador em casa assistam às aulas on-line e participem dos encontros realizados...

Laguna | Tem diminuição no número de pacientes ativos em tratamento de Covid

Em uma semana, Laguna teve uma diminuição considerável no número de pacientes ativos, que estão em tratamento de coronavírus no município. A cidade passou...

1ª Dama que vai ao velório, em carro oficial, é condenada com o marido por improbidade

Aconteceu no Oeste de Santa Catarina em 2009. Um familiar do prefeito faleceu e a primeira-dama e sua tia foram ao velório. O problema...