InícioMundoJornalista da BBC detido e espancado pelas autoridades chinesas

Jornalista da BBC detido e espancado pelas autoridades chinesas

O jornalista da BBC Edward Lawrence foi “espancado e chutado pela polícia” antes de ser detido enquanto cobria um protesto contra o confinamento para os protestos da COVID-19 na China.

A emissora disse estar “profundamente preocupada” após confirmar que o operador de câmara “foi atacado” em Xangai no domingo, uma vez que imagens nos meios de comunicação social mostravam polícias a arrastar o jornalista algemado pelo chão.

“A BBC está profundamente preocupada com o tratamento do nosso jornalista Ed Lawrence, que foi detido e algemado enquanto cobria os protestos em Xangai”, disse um porta-voz da BBC.

A emissora acrescentou que Lawrence, que foi agora libertado, foi retido durante várias horas. “Durante a sua detenção, foi espancado e pontapeado pela polícia. Isto aconteceu enquanto ele trabalhava como jornalista acreditado”, disse o porta-voz da BBC.

“É muito perturbador que um dos nossos jornalistas tenha sido atacado desta forma no desempenho das suas funções”, acrescentou o porta-voz, falando à emissora britânica LBC.

A BBC criticou o facto de a corporação não ter recebido qualquer explicação ou desculpa oficial das autoridades, “para além de uma declaração de oficiais de que ele tinha sido preso para seu próprio bem no caso de ter apanhado o coronavírus na multidão”.

“Não consideramos isto uma explicação credível”, disse o porta-voz da emissora.

Lawrence, que trabalha para a corporação na sua sede em Pequim, viajou para Xangai para os protestos em massa na cidade.

Segundo o próprio jornalista no seu perfil do Twitter, a polícia estava a bloquear as estradas e a não deixar passar as pessoas depois de as multidões terem inchado.

“Vi a polícia prender três pessoas, duas das quais confrontaram os agentes. Há uma tensão silenciosa até que uma pessoa grita, depois a multidão canta e aplaude em apoio”, explicou ele depois de notar que os protestos foram pacíficos, com muito controlo policial.

Desde sexta-feira, os residentes na China organizaram vários protestos em diferentes cidades do país sobre as medidas impostas contra o coronavírus como parte da chamada política “COVID Zero” implementada por Xi Jinping.

O número de infecções por coronavírus está num nível recorde no país, com mais de 40.000 pessoas infectadas.

Fonte da informação: News 360/ Por Pedro Santos