Iniciativa solidária promove sustento para profissionais do ramo de entretenimento afetados pela pandemia em Florianópolis

“Organização visa fomentar trabalhadores das áreas de cultura, turismo, lazer e eventos enquanto suas atividades permanecem suspensas ou restritas na Capital”.

Vários setores e atividades tiveram sua rotina alterada após o início da quarentena instituída pela pandemia do Covid-19, especialmente estabelecimentos que lidam com grandes públicos ou espaços fechados. Os trabalhadores mais impactados desse segmento foram aqueles que trabalham em bares e eventos, perdendo, em muitos casos, sua única fonte de renda. Para fortalecer essa rede, Whatafunk? Produções, ARVO Festival, o Araçá, Balaclava Studio, Guerrilha Produtora, Casa de Noca e os produtores freelancers Bárbara Manchini, Júlio André, Gisele Moro, Gustavo Monteiro e Joice Taú se uniram para criar o MOTIN – Movimento Organizado dos Trabalhadores Indispensáveis da Noite – um grupo que pretende movimentar uma rede solidária e construir ações de arrecadação para auxiliar essas pessoas que são essenciais para tornar os eventos culturais possíveis. A iniciativa acredita que é preciso reconhecer o valor e a necessidade gerados pelos encontros que festas, shows e espetáculos promoviam, e auxiliar os trabalhadores que dependem dessas ações.

O projeto iniciou com a arrecadação de doações dentro de duas plataformas de crowdfunding (financiamento coletivo online), Abacashi e PicPay, com a meta inicial de arrecadar R$ 50 mil para os 100 primeiros profissionais de diversas áreas que se inscrevem, conectando diversos atores sociais, como instituições públicas, agentes culturais, artistas, trabalhadores, donos de bares, fornecedores, patrocinadores e público em geral. A ação ocorre em prol de repensar as relações econômicas, descentralizar as oportunidades e desenvolver a economia solidária necessária para a superação deste momento.

Para os profissionais receberam a ajuda do MOTIN é preciso ter trabalhado em eventos nos últimos dois anos, ser maior de 18 anos, residir em Florianópolis, estar sem fonte de renda no momento e não ser beneficiado por outra campanha paralela. Conforme a expansão do movimento, se espera abrir o cadastro para mais trabalhadores, até que seja possível retomar as atividades culturais em segurança. O formulário de cadastro está disponibilizado nas redes sociais do projeto, onde também é possível entrar em contato para realizar a doação de alimentos.

COMO AJUDAR

Redes Sociais: Instagram e Facebook

Plataformas de Crowdfunding: Abacashi  e PicPay

Formulário para se inscrever como beneficiado clicando aqui.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Segurança de boate deve apartar e neutralizar brigas, não atacar clientes, reforça TJ

Um técnico em refrigeração espancado por seguranças na saída de uma boate, na Capital, será indenizado em R$ 5 mil por danos morais. A...

Famílias passarão a receber o Bolsa Família somado ao Auxílio Emergencial até dezembro

Até o próximo dia 30 de outubro, cerca de 12,4 milhões das mais de 14,27 milhões de famílias atendidas pelo Programa Bolsa Família (PBF)...

Laguna | Passa dos mil pacientes curados de Covid-19

Mais seis casos positivos de coronavírus foram confirmados em Laguna, segundo informa o boletim epidemiológico emitido nessa terça-feira, 20, pela prefeitura. Outras 14 pessoas...

Municípios devem conferir se há pendências no plano de ação da Lei Aldir Blanc

Terminou no dia 17 de outubro o prazo para que as gestões municipais tivessem  manifestado interesse nos recursos do auxílio emergencial para a cultura,...