Hotéis da região recebem turistas

As cidades litorâneas da região, como Laguna e Imbituba, não terão suas tradicionais festas públicas de Réveillon em virtude da pandemia do coronavírus, mas mesmo assim turistas e veranistas já estão nas praias e os hotéis estão seguindo com as reservas, agora liberadas para 100% de ocupação.

Mas mesmo com a liberação no número máximo de hóspedes, alguns hotéis seguem com a hospedagem em 30%, conforme o decreto que estava vigente no Estado. Em Laguna, de acordo com Lisiane Carvalho de Souza, do Hotel Atlântico Sul, até terça-feira o local estava fazendo as reservas conforme a determinação de 30%. Com a liberação por liminar concedida pela Justiça, o hotel começou a abrir novas reservas. “Mas o movimento está fraco. Em Laguna, muitas pessoas têm suas casas e também outros estão com medo da pandemia. Mas a cidade está bem movimentada”, avalia.

Lisiane ainda acrescenta que o hotel está tomando todas as medidas de segurança sanitária estabelecidas. “Isso mantém a segurança dos hóspedes e também dos colaboradores”, acentua.

Já o Imbituba Praia Hotel segue com a ocupação em 30%, mesmo após a liberação. “Estamos com todas as reservas feitas e vamos manter conforme estava determinado anteriormente”, disse uma funcionária que preferiu não se identificar. “Também estamos oferecendo várias opções de reserva on-line e outras facilidades, para que o hóspede não precise passar por aglomerações em check-in”, completa.

Gaúchos, paranaenses e as pessoas do interior do Estado são a maioria dos visitantes nas duas cidades, que já estão com bastante movimento.

Desembargador derruba liminar e hotéis podem atender com 100%

O desembargador Raulino Jacó Bruning, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), suspendeu a liminar que impedia o funcionamento dos hotéis e a realização de eventos sociais, mesmo com regramento sanitário em Santa Catarina. A decisão foi publicada na noite de terça-feira.

No documento, o magistrado determina o restabelecimento da eficácia dos decretos 1.003/2020 e 1.027/2020. As normas flexibilizaram as regras sanitárias relacionadas à pandemia de covid-19 e, a partir da suspensão da liminar do juiz de primeiro grau, os hotéis – mesmo os localizados em cidades classificadas como de risco potencial gravíssimo, como na Amurel, podem operar com 100% da capacidade. Eventos sociais também estão permitidos, desde que observadas as orientações de saúde estipuladas pelos técnicos do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes) de Santa Catarina.

A decisão afirma que, mesmo que não se desconheça “o crítico momento que o Brasil e outros países estão atravessando neste final de ano”, o Poder Judiciário só pode interferir nas opções políticas fundamentais “em situações excepcionais”. Para o desembargador, “compete precipuamente ao Poder Executivo fazer escolhas e eleger prioridades que assegurem o desenvolvimento e o funcionamento integral das múltiplas atividades do Estado”.

O despacho publicado nesta terça-feira considerou os argumentos da Procuradoria-Geral do Estado (PGE/SC), que, entre outros pontos, destacou que as decisões do governo foram embasadas em critérios técnicos para garantir a liberdade social e econômica dos catarinenses.

“Os decretos estaduais não repercutem no agravamento da pandemia, mas, sim, facilitam a fiscalização do Estado e a observância dos critérios de segurança estabelecidos, afastando-se a eventual clandestinidade de hospedagem e de eventos. Os turistas, evidentemente em menor proporção que nos anos anteriores, virão para Santa Catarina. É um fato. Por isso, mostra-se necessário o regramento imposto pelo Executivo”, afirma o desembargador na decisão.

Com informações do Diário do Sul

ÚLTIMAS NOTÍCIAS