Homem cola os olhos e agride ex-parceira em tentativa de feminicídio

De acordo com informações divulgadas pela 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana de Canoas, no Rio Grande do Sul, uma mulher de 29 anos foi sequestrada e cruelmente agredida pelo ex-companheiro. Ela sofreu violência física, psicológica e sexual, tendo os olhos machucados com gravidade por cola instantânea (do tipo Super Bonder).

A vítima estava na casa de uma amiga, na segunda-feira (7), quando a residência foi invadida pelo homem, de 27 anos. Com dois tubos de cola nas mãos, o agressor direcionou jatos do produto à cabeça da ex-parceira. A cola atingiu os cabelos dela e escorreu para os olhos. Depois de ser agredida, a mulher ficou desacordada e foi levada pelo criminoso para a casa dele, de carro. Passou um período no pátio e depois passou para dentro da moradia. A família da vítima registrou o desaparecimento na madrugada de terça-feira (8).

Com dificuldade para enxergar, ela conseguiu fugir do local na quarta (9) e pediu que uma vizinha chamasse um carro por aplicativo. Quando o pai da vítima a reencontrou, acompanhou-a até o Hospital Banco de Olhos, em Porto Alegre, para atendimento.

A mulher prestou depoimento à polícia no dia seguinte. Relatou ter sofrido violência sexual, além de chutes, socos, empurrões e tapas. Contou também que o ex-companheiro a derrubava no chão e pressionava o pé contra o pescoço dela, puxando a cabeça para cima. Como ela estava sentindo fortes dores, o relato ocorreu por telefone, e não presencialmente.

Entre rompimentos e reconciliações, o ex-casal, que tem uma filha de 11 meses, mantivera uma relação de anos – com outros episódios de violência. O homem teve a prisão decretada ainda na quinta (10). Monitorado, ele acabou detido preventivamente no final da noite de sexta-feira (11) e encaminhado ao sistema prisional.

Clarissa Demartini, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Canoas, classifica o caso como “muito grave”. O inquérito ainda depende de algumas oitivas, mas não há dúvida, segundo a delegada, quanto à autoria e à materialidade.

Redação Hypeness

Foto: Getty Images

ÚLTIMAS NOTÍCIAS