Hoje é dia dos Idosos: 5 dicas para você ajudar na saúde mental de seus velhinhos

Os idosos são um dos grupos de risco mais afetados pelos impactos da pandemia. Por exigirem cuidados redobrados, acabam vivendo um isolamento social mais intenso e estão mais propensos ao sentimento da solidão, ansiedade e, muitas vezes – quando mal compreendida a situação – abandono.

“Isolar-se das conexões de vida é um risco objetivo e subjetivo – pode afetar a saúde física e emocional. Um idoso pode estar em risco ampliado principalmente se estiver prisioneiro em um isolamento emocional, relacional e afetivo, um isolar-se dentro de si que empobrece seus interesses”, assinala a coordenadora de Psicologia da Estácio/RS, Marcia Rejane Semensato.

Muitas vezes a pessoa que está vivenciando esse sofrimento pode ter dificuldades de pedir auxílio e, por isso, é tão importante ter uma rede de apoio que possa estar atenta e dar esse suporte ao familiar ou ente querido. Mas como dar esse suporte? O que fazer para auxiliar na saúde mental desse idoso?

A psicóloga traz cinco dicas que podem orientar nessa tarefa e garantir uma maior saúde mental para os seus velhinhos durante a pandemia:

1 – Demonstre atenção e cuidado – pergunte se o familiar precisa de algo, se está bem, se mostre disponível para auxiliar em alguma tarefa ou apenas para conversar durante alguns momentos.

2 – Observe como o idoso está vivenciando o isolamento – se o familiar pede auxílio, se compartilha seus sentimentos e pensamentos. O isolamento de contato afetivo sugere que outras questões de saúde emocional podem estar se manifestando ou se agravando, como solidão, desamparo ou inatividade.

3 – Ensine novas tecnologias – o aprendizado de novas tecnologias, como aplicativos de chamada de vídeo, por exemplo, pode amenizar a saudade dos familiares. Além de que aprender coisas novas fortalece a cognição e aumenta a autoestima.

4 – Incentive aprendizados – além das tecnologias existem diversas possibilidades de interesses que podem ser exploradas. Pergunte quais interesses o idoso possui curiosidade e incentive o aprendizado. Aprender coisas novas fortalece a cognição e aumenta a autoestima.

5 – Incentive os hobbies – às vezes deixamos de lado algumas atividades que nos dão prazer e até esquecemos o quanto pode ser prazeroso. Incentive esse movimento e resgate. Os hobbies são extremamente vantajosos neste período, pois a maioria, além de ser muito saudáveis para manter-se ativo, podem ser feitos também individualmente.

Colaboração: Niágara Braga – Usina de Notícias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS