Há 13 anos, lutas e avanços buscam a proteção dos recursos hídricos

Um sonho culminou numa conquista significativa que mobilizou e uniu a região Sul de Santa Catarina no ano de 2006: a criação do Comitê da Bacia do Rio Urussanga. Ver a bacia hidrográfica em melhores condições num futuro próximo foi a grande motivação que juntou diferentes entidades representativas, instituições de ensino e a sociedade em geral. Em dezembro de 2019, o órgão colegiado comemora 13 anos de atuação.

“Durante dois anos, antes da formação efetiva, ocorreram muitas reuniões e audiências públicas nos municípios. Além de toda mobilização, buscamos conscientizar e dar destaque ao rio, evidenciando sua importância, problemas e estratégias de gestão. Um dos desafios daquela época foi o Comitê ser mais proativo na gestão das águas e se posicionar em questões fundamentais e polêmicas, como a implantação de atividades poluentes”, recorda o primeiro presidente do órgão colegiado, engenheiro agrônomo Renato Bez Fontana.

Nos anos seguintes, uma parceria com o projeto Piava Sul, composto por professores e outros profissionais qualificados, propôs e executou ações relevantes como o nivelamento do conhecimento dos membros e sobre a gestão integrada, bem como o cadastro de usuários de água.

“Destaque para o Caderno do Educador voltado à educação ambiental na bacia hidrográfica. Através deste conseguimos levar as informações sobre recursos hídricos de forma sucinta à população da bacia por meio de capacitação. Daquela época lembro-me do debate a respeito da elaboração do Plano de Recursos Hídricos. Um desafio foi buscar manter o órgão colegiado funcionando sem recursos”, comenta o presidente do Comitê entre 2008 e 2012, professor universitário Antonio Adilio da Silveira, representante da Colônia de Pescador Z33 como usuário de água.

 SOCIEDADE PARTICIPATIVA

José Carlos Virtuoso, professor e palestrante, atualmente membro titular do Comitê como representante da ABADEUS, do segmento da população da bacia, esteve à frente do órgão entre 2013 e 2016. Neste período, uma parceria com o programa SC Rural resultou em acompanhamento técnico fundamental para o fortalecimento, contemplando repasse de recursos necessários para a estruturação dos órgãos.

Destaque para a mobilização social promovida pelo Comitê como um dos grandes resultados nesta época. “As pessoas começaram a entender que o órgão não era uma ONG, mas um instrumento à construção da governança da água, por meio de um processo participativo, incluindo os setores público, privado e a sociedade civil. Nesse sentido, a realização contínua de atividades e sua divulgação por meio de uma estratégia eficiente de comunicação permitiram que o Comitê passasse a ser mais conhecido, com sua vinculação à gestão hídrica”, pontua.

 MOMENTO ATUAL RUMO AO PLANO COM METAS

A engenheira química Carla Possamai Della, atual presidente do Comitê representando o Samae de Cocal do Sul, acompanha um momento histórico: a elaboração do Plano de Recursos Hídricos com a participação da sociedade, identificando os problemas e as soluções para a gestão da água.

“Percebe-se a necessidade e importância de garantir água em quantidade e qualidade aos diversos usos e ao desenvolvimento sustentável da bacia hidrográfica do Rio Urussanga. Em cada etapa concluída fica mais evidente o interesse e a preocupação por parte de alguns setores envolvidos, participação fundamental para identificar quantitativa e qualitativa disponibilidade hídrica da bacia hidrográfica e nortear conflitos já instalados ou futuros. Os desafios, a partir de agora, são ligados a gestão pública eficiente para que ocorra a efetivação das metas e estratégias, ações de curto, médio e longo prazo definidos no Plano”, frisa.

Comunicação Comitê Rio Urussanga

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

95 municípios podem ter de realizar segundo turno nas Eleições Municipais de 2020

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 95 municípios com mais de 200 mil habitantes podem ter de promover um segundo turno de...

Réplica da primeira igreja matriz de Orleans, um local que ainda recebe visitantes

A primeira capela da cidade foi construída em 1886 pelo  comendador francês Joaquim Caetano Pinto Júnior. As telhas vieram da França, e possuía 4 janelas...

Polícia Civil prende suspeito de feminicídio e de homicídio de recém-nascido e localiza corpos das vítimas

Na terça-feira (22), a Polícia Civil, por intermédio do Setor de Investigações Criminais de Itapema, cumpriu um mandado de prisão temporária contra um investigado...

Pinguim é encontrado morto no litoral de SP com máscara no estômago

Um pinguim foi encontrado morto no último dia 09 de setembro na praia de Juquehy, em São Sebastião, litoral de São Paulo – e, depois de...