Geração de empregos na construção civil é a maior entre os setores da economia durante a pandemia

“A construção civil tem liderado a geração de empregos e já se tornou um dos principais responsáveis por impulsionar a economia do Brasil durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus”.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados detalham que, apenas em junho de 2020, a construção civil gerou mais de 17 mil novos postos de emprego no país. De acordo com a pesquisa Sondagem Indústria da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice alcançado em setembro (50,1 pontos) foi o melhor já registrado desde abril de 2012. O crescimento na geração de empregos retrata o fortalecimento que vem sendo construído ao longo do ano e que representa oportunidades para o futuro pós-pandemia.

Segundo Renato Las Casas, diretor comercial da empresa de revestimentos sustentáveis Ecogranito, os resultados positivos se devem ao fato de que o setor foi um dos primeiros a adaptar as obras e outras atividades para o enfrentamento da pandemia, garantindo a segurança de seus funcionários e de toda a população. “A adoção precoce das medidas de contenção foi essencial para que o segmento se fortalecesse mesmo em meio à crise sanitária que estamos vivendo”, avalia.

Entre as medidas preventivas que possibilitaram a continuidade das obras e reduziram os prejuízos financeiros para as empresas, estão a adoção do distanciamento social e de outras atitudes recomendadas pela Organização Mundial da Saúde, além da adesão de práticas sustentáveis.

Para o empresário, a decisão de enquadrar a construção civil como serviço essencial durante a pandemia, garantiu a manutenção de milhares de empregos de baixa escolaridade, uma vez que 25% dessa mão de obra é absorvida pela construção civil. “Essa determinação ainda garantiu a abertura de novos postos de trabalho em um momento em que as demissões em outros setores dispararam”, conclui.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS