InícioNotíciasGeada na sexta-feira? Massa de ar polar derruba as temperaturas

Geada na sexta-feira? Massa de ar polar derruba as temperaturas

A sexta-feira (06/05) terá dois grandes destaques, um será em relação às temperaturas que ficarão baixas, sobretudo no amanhecer, e o outro é em relação à diminuição das chuvas na Região Sul. Este cenário é consequência do avanço do ciclone extratropical, que atuou sobre o sul do país nos últimos dias, para o oceano. Provocando o avanço e intensificação da massa de ar polar no centro-sul

O risco para geadas fica restrito às regiões serranas do sul, e os termômetros podem se aproximar dos 0°C nos pontos mais altos. Além disso, também temos o avanço da frente fria associada ao ciclone, e nesta sexta-feira as chuvas podem ser expressivas na costa do sudeste e também ter a formação de algumas pancadas isoladas sobre o centro-oeste e metade norte do sudeste.

Região Norte

As instabilidades típicas da região, mantém uma boa distribuição das chuvas sobre a metade norte da região norte. Já em alguns estados do sul, as condições de chuvas serão baixas devido à proximidade com uma massa de ar mais seco, associado à região de alta pressão que atua no centro-sul do país. Em relação aos volumes previstos, os registros podem superar a marca dos 50 mm na grande região de Caracaraí em RR.

Região Nordeste

As instabilidades seguem concentradas na faixa norte da região, porém os volumes previstos são menores do que os ocorridos nos dias anteriores. O sistema que provoca essas chuvas é a Zona de Convergência Intertropical, um corredor de umidade que tem sua atuação bastante significativa nesta época do ano. Os maiores acumulados poderão ocorrer sobre Pindaré e  Fortaleza, superando os 25 mm no decorrer do dia. Algumas pancadas passageiras também poderão ser registradas na costa leste da região, mas com volumes pouco expressivos. Já no interior do nordeste, o tempo segue seco e quente, acentuando a perda de umidade do solo.

Região Centro-Oeste

O tempo será dominado pela presença de uma região de alta pressão, mantendo o tempo firme em grande parte da região centro-oeste. Além disso, essa alta pressão está associada à uma massa de ar polar que mantém o amanhecer ameno na metade sul do centro-oeste. Os termômetros podem amanhecer com marcas abaixo dos 15°C sobre o sul do MT, sul do GO e grande parte do MS. Contudo, com a forte presença do sol, essas marcas sobem rapidamente e podem superar os 33°C no sul do MT, marcando um dia de grande amplitude térmica. No entanto, algumas instabilidade podem surgir ao norte do GO, devido à atuação de uma frente fria, mas com volumes previstos abaixo dos 5 mm.

Região Sudeste

A frente fria continua atuando sobre a região, porém de forma mais restrita do que em relação aos dias anteriores. Essa frente fria pode levar algumas chuvas para o norte e leste de MG e ES, com volumes expressivos que podem superar a marca dos 40 mm na grande região de Linhares. Contudo, na metade sul da região o domínio será da massa de ar polar que vai proporcionar um amanhecer frio especialmente sobre o sul de MG, onde o dia pode começar com marcas inferiores aos 8°C. O dia também amanhece ameno sobre SP e no triângulo Mineiro, mas com a forte presença do sol as temperaturas sobem ligeiramente no período da tarde e faz calor ao norte de MG.

Região Sul

O domínio de uma região de alta pressão mantém o tempo firme em praticamente todas as áreas da região sul. Essa área de alta pressão está associada a uma massa de ar mais frio,  com condições propícias para a formação de geadas entre as serras ao norte do RS e as serras de SC. Nestas localidades os termômetros poderão registrar marcas próximas de zero graus nas áreas mais altas, sobretudo no amanhecer desta sexta. O período da tarde também será marcado por temperaturas amenas migrando novamente para um anoitecer com temperaturas baixas. Apesar dessas condições, no noroeste do PR a tarde poderá ser quente, indicando então um dia com uma grande diferença entre as mínimas e máximas.

Veja os mapas destaques para hoje:

Chuva

Temperatura Mínima

Risco para Geada

Material exclusivo elaborado pela equipe Agrotempo.

Agrolink

Imagem: Gabriel Luan Rodrigues