Furacão Ida chega com força devastadora à costa dos EUA

O poderoso furacão Ida chegou à Louisiana, na costa dos Estados Unidos, com uma potência categoria 4, apenas uma abaixo do máximo possível. O fenômeno colocou em alerta todas as autoridades, tanto estaduais como federais, que o consideram o mais forte a atingir esse Estado do sul dos EUA em mais de um século, desde a década de 1850. O Ida reviveu o medo deixado pelo Katrina, que arrasou a Louisiana há exatamente 16 anos.

As chuvas e os ventos fortes, assim como os alertas do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês) de que o furacão é “extremamente perigoso”, provocaram pânico e evacuações em massa. O tráfego era intenso na saída de Nova Orleans e de outras cidades depois do apelo oficial para os moradores fugirem ou buscarem abrigo. “A devastação será, provavelmente, imensa”, avisou o presidente Joe Biden, que também pediu para a população se preparar para ficar um longo tempo sem eletricidade. “Pode levar muito tempo para que o serviço se restabeleça, pode levar semanas em alguns lugares”, acrescentou.

“Danos catastróficos podem ocorrer por onde o centro do Ida for se movendo ao longo da costa sudeste da Louisiana durante as próximas horas”, alertou o NHC na manhã deste domingo. Segundo as previsões, o furacão trará ondas de tempestade “extremamente ameaçadoras para a vida”, que, combinadas com a maré alta, poderiam provocar a inundação de áreas perto do litoral e o transbordamento de diques locais.

O Centro Nacional de Furacões acrescentou que durante todo o dia são esperados “ventos com força de furacão e rajadas destrutivas”, que se intensificarão durante a noite deste domingo para segunda-feira. “Esses ventos podem causar grandes danos a árvores e interrupções no fornecimento de energia elétrica”, alertou. Na manhã deste domingo, a mídia locais informou que já havia algumas áreas sem eletricidade.

“Um corte prolongado de energia é quase certo”, disse no sábado à imprensa o diretor de segurança de New Orleans, Collin Arnold. “Imploro para que levem esta tempestade a sério”, assinalou. O mesmo apelo foi feito pelo governador da Louisiana, John Bel Edwards, que disse que o Ida seria uma das maiores tempestades a atingir os Estados Unidos desde a década de 1850.

Em New Orleans, a prefeita LaToya Cantrell também pediu que os moradores levem muito a sério o furacão. “O tempo não está do nosso lado”, disse ela no sábado. “O Ida está crescendo rapidamente, está se intensificando.”

Este domingo marca o 16º aniversário da passagem do Katrina, o devastador furacão que inundou 80% de New Orleans, deixando 1.800 mortos e bilhões de dólares em danos.

“Todo mundo está assustado porque é o aniversário do Katrina e as pessoas não o levaram a sério naquele ocasião”, disse Austin Suriano, que ajudou a proteger as janelas da oficina de relógios de seu pai.

Imagens publicadas nas redes sociais e nos canais de notícias dos EUA mostraram um grande número de pessoas no aeroporto esperando para embarcar e longos engarrafamentos nas estradas para sair da cidade. No entanto, diante da intensificação do furacão, as autoridades disseram que já era muito tarde e recomendaram que a população procurasse abrigo.

Reportagem: Luis Pablo Beauregard/EL PAÍS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS