Fraturas do úmero proximal é tema do II Fórum de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Santa Cruz

“Especialistas da área de ortopedia se reúnem em evento online para discutir os tratamentos e procedimentos cirúrgicos nas lesões do ombro”.

As fraturas que envolvem a região superior do ombro, chamada de úmero proximal, são bastante comuns e podem acometer de jovens a idosos. Apesar de serem frequentes, dependendo do grau da fratura, o tratamento exige protocolos especializados que podem variar entre métodos conservadores até procedimentos cirúrgicos, inclusive, com colocação de próteses em alguns casos. Para discutir as abordagens relacionadas ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento das fraturas do úmero proximal, o Hospital Santa Cruz irá realizar na próxima quinta-feira, dia 18 de fevereiro, às 20h, o segundo Fórum de Ortopedia e Traumatologia.

O evento é destinado aos médicos ortopedistas, fisioterapeutas, enfermeiros e demais profissionais da área da saúde e será transmitido ao vivo na página do Facebook e no canal do Youtube da Instituição. Segundo o ortopedista e traumatologista do Hospital Santa Cruz, Dr. Carlos Ramos (CRM-PR 13.098, RQE 6.079), o objetivo desta segunda edição é trazer uma abordagem mais aprofundada das lesões complexas. “Para cada tipo de trauma, existe uma forma de diagnóstico e um tratamento específico. Atualmente existem tecnologias de reconstrução 3D que auxiliam os médicos na escolha desse tratamento para cada paciente”, explica.

O ortopedista ainda ressalta que o tratamento das fraturas também pode ser diferente, de acordo com o perfil do paciente. “Em pessoas jovens, por exemplo, o tratamento na maioria das vezes é cirúrgico, tentando sempre recuperar a estrutura original do úmero, com a fixação de placas bloqueadas. Já em idosos, nem sempre é possível restituir o osso, devido a uma osteoporose ou outra doença que comprometa a densidade óssea. A colocação de placas nesses casos, pode levar a uma multifragmentação da fratura. Por isso, o ideal é a prótese, que dura em torno de 10 anos e diminui as chances do idoso precisar de uma nova cirurgia”, completa Ramos.

O Fórum contará com quatro abordagens especializadas e trará temas do cotidiano médico como diagnóstico para tratamento operatório, planejamento e avaliação cirúrgica, dicas e passo a passo para colocação de placa bloqueada e diferenciação entre fixação e artroplastia. Para compartilhar essas técnicas e outros procedimentos utilizados nos demais hospitais do Brasil, o Hospital Santa Cruz convidou diversos especialistas da Rede D’or São Luiz que também participarão do evento.

SERVIÇO

II Fórum de Ortopedia e Traumatologia

Data: 18 de fevereiro de 2021               

Horário: às 20h

Transmissão ao vivo: Canal do Youtube do Hospital Santa Cruz

 

Público-alvo: médicos, profissionais da saúde e pacientes

*Não é preciso realizar inscrição prévia.

Sobre o Hospital Santa Cruz

Fundado em 1966, o Hospital Santa Cruz está localizado no bairro Batel, em Curitiba (PR), e, desde junho de 2020, é unidade integrante da Rede D’Or São Luiz – maior rede de hospitais privados do país com atuação no Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco, Maranhão, Bahia, Sergipe e Paraná. O Hospital Santa Cruz é considerado um centro de alta complexidade no atendimento das áreas de Oncologia, Cardiologia, Cirurgia Geral, Neurologia, Ortopedia, Pronto-Atendimento e Maternidade. Com estrutura e equipe multidisciplinares, equipamentos de última geração e um moderno centro cirúrgico, oferece cuidado de alta qualidade centrado no paciente, segurança assistencial e humanização do atendimento. É reconhecido com o selo de Acreditação com Excelência Nível III, entregue pela ONA, sendo a instituição acreditada nesta categoria por mais tempo no Estado. Mais informações em www.hospitalsantacruz.com.

Sobre a Rede D’Or São Luiz

Fundada em 1977, a Rede D’Or São Luiz é a maior rede de hospitais privados do Brasil, com presença em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Distrito Federal, Pernambuco, Maranhão, Sergipe, Bahia e Ceará. O Grupo opera com 52 hospitais, sendo 51 próprios e um hospital sob gestão. Atualmente a Rede D’Or contabiliza 7 mil leitos operacionais, e tem planos de chegar a 11 mil até 2022. São, ao todo, 51,1 mil colaboradores e 87 mil médicos credenciados, que realizaram 1,2 milhão de atendimentos de emergência, 254 mil cirurgias, 32 mil partos e 383 mil internações nos últimos 12 meses, além de 9,6 mil cirurgias robóticas desde o início do serviço, há cinco anos. A Rede D’Or São Luiz também conta com a Oncologia D’Or, rede de clínicas especializadas em tratamento oncológico em que está presente oito estados brasileiros.

COLABORAÇÃO: EXCOM COMUNICAÇÃO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS