Foco do mosquito da dengue é encontrado no bairro Vila Isabel em Rio Maina

A Vigilância Epidemiológica de Criciúma, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), localizou mais um foco do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika virus e chikungunya.

Desta vez a larva foi encontrada em armadilha no bairro Vila Isabel, no distrito do Rio Maina e, com essa localização, já são 41 focos em Criciúma só em 2020, representando um acréscimo de 410% em relação a todo ano de 2019, quando foram registrados 10 focos nos 12 meses.

“Essa quantidade nos preocupa e acende o alerta para que a população reforce ainda mais os cuidados para evitar água parada. Todos os recipientes que possam acumular água devem ser armazenados de forma adequada ou devidamente descartados”, explicou a médica veterinária do CCZ, Mayara Vieira Tizatto.

Vistorias na região

A veterinária explica ainda que os agentes de combate às endemias já iniciaram as vistorias nas residências em um raio de 300 metros de onde o foco foi encontrado, no bairro Vila Isabel.

Eles estão identificados com crachá, colete e veículos oficiais.

“A gente gostaria de reforçar o pedido para população atender nossos agentes para que eles possam fazer a vistoria do ambiente e passar orientações. Nas casas de pessoas do grupo de risco à Covid-19, nós não faremos vistorias no terreno, apenas passaremos as instruções à distância ou por interfone, conforme o caso”, ressaltou Mayara, acrescentando que todos os agentes trabalham com os equipamentos de proteção individual recomendados contra a disseminação do coronavírus.

Sintomas das doenças

Se a pessoa tiver febre alta, dor atrás dos olhos, manchas no corpo, dor em articulações e no corpo, deve imediatamente procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico.

O paciente nunca deve se automedicar.

Mais orientações da Vigilância Epidemiológica de Criciúma:

Potes de água dos animais de estimação: uma vez por semana escovar as bordas, mesmo que a água seja trocada todos os dias.

Piscinas: devem ser tratadas com cloro, se possível com filtro. Deixar tampada caso não esteja em uso.

Calhas: sempre verificar se estão obstruídas, limpar com maior frequência.

Materiais de construção e pneus: armazenar em locais cobertos e não deixar água a acumular no interior dos objetos.

Garrafas: sempre viradas para baixo.

Caixa d’água: nunca deixar destampada.

Vasos de plantas: o ideal é não utilizar o pratinho, mas se utilizar encher até a borda com areia.

Bromélia: uma vez por semana dar um jato forte de água em cima da planta se for plantada no chão. Se for em vasinho, retirar a água parada.

Folhas de coqueiros e de bananeiras com formato côncavo: uma vez por semana retirar do terreno, podendo queimar ou quebrar e descartar no lixo, dentro de uma sacola fechada.

Lixo: utilizar sacos plásticos bem resistentes e colocar em uma lixeira sempre próximo do horário da coleta.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FLORIANÓPOLIS | SHRBS contesta anúncio do cancelamento do Réveillon oficial da capital

Um evento que divulga a cidade, além de atrair um enorme público durante o auge da temporada, o Réveillon oficial de Florianópolis não deveria...

AGRONEGÓCIO | Fruticultores recebem assistência técnica e gerencial para ampliar produtividade em SC

"Programa do Senar atende 180 produtores do Sul, Planalto Norte e Meio Oeste. Cultivo de pera, banana, uva, maçã, maracujá e pitaya são destaques...

Ginecologista de Florianópolis é condenado por crimes de violação sexual mediante fraude contra paciente

Vítimas sofreram abusos durante consultas de rotina. MPSC recorreu da condenação a oito anos de prisão em regime semiaberto. Um médico ginecologista, denunciado pelo Ministério...

Empresas podem destinar até 4% do imposto devido a projetos culturais

"Segunda live da série que o Fundo Social da FIESC realiza até novembro detalha como parte do imposto de renda devido por empresas pode...