“Flurona”: SC investiga 9 casos suspeitos de infecção simultânea por Influenza e coronavírus

A Secretaria da Saúde de Santa Catarina investiga nove casos suspeitos de “flurona”, infecção simultânea de uma pessoa pela Covid-19 e pelo vírus influenza, da gripe, informou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) na tarde desta terça-feira (4). Até o momento, não há casos confirmados no Estado.

As suspeitas da infecção foram identificadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Amostras foram enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro, laboratório de referência nacional para Santa Catarina. Ela ficará responsável por confirmar ou descartar os casos.

A Dive alertou que os dois vírus circulam em Santa Catarina.

Prevenção

Como os dois vírus são respiratórios, a Dive afirmou que as medidas de prevenção são as mesmas para evitar a contaminação pelos dois organismos:

  • uso de máscara em locais fechados e ambientes aglomerados
  • higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel
  • distanciamento social
  • caso a pessoa tenha sintomas respiratórios, deve ficar em isolamento
  • ventilar os ambientes

 

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina esclarece que a flurona Covid-19 e gripe pode ocorrer sempre que houver a infecção simultânea de uma pessoa por qualquer variante do coronavírus, com qualquer subtipagem do vírus influenza.

 

Filas nas unidades de saúde

A investigação de casos suspeitos ocorre em meio a filas nas unidades de saúde em cidades turísticas do litoral, como Balneário Camboriú, Florianópolis e Barra Velha.

A alta procura de moradores e turistas a postos de saúde tem ocasionado filas e reclamações pela demora no atendimento por parte dos pacientes. Na capital, há relatos de pessoas que passaram até 24 horas esperando. Tanto em Florianópolis como em Barra Velha, pessoas foram flagradas deitadas no chão enquanto esperavam.

Balneário Camboriú também registrou aumento na procura de unidades de saúde, após o réveillon. A prefeitura estima que quase um milhão de pessoas tenham assistido aos show de fogos da Praia Central, seja na própria faixa de areia, como na Avenida Atlântica, em frente à orla, ou nos prédios próximos.

“Balneário Camboriú é uma cidade turística. Normalmente já tem um aumento significativo nas portas de urgência e emergência. Com circulação da Influenza, há mais pessoas procurando por atendimento”, disse a secretária municipal de Saúde, Leila Crocomo.

Profissionais da saúde infectados

O aumento de casos de Covid-19 entre profissionais de uma unidade de saúde de Florianópolis é investigado pela Secretaria de Saúde da Capital. Segundo o secretário da pasta, Carlos Alberto Justo da Silva, ao menos quatro trabalhadores que atuam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sul estão em isolamento.

“É muito cedo para falar em surto, porque precisamos descobrir se a contaminação ocorreu dentro da unidade ou se veio de fora. Por isso, estamos investigando”, disse.

Os atendimentos no local ocorrem normalmente, informou a pasta, com profissionais não contaminados.

Ômicron em SC

Na segunda (3), a Dive confirmou que há 54 casos confirmados da variante ômicron do coronavírus em Santa Catarina. Na quinta-feira (30), o órgão havia informado que há a transmissão comunitária do vírus no estado.

A Dive destacou que as vacinas são eficazes contra a variante ômicron, principalmente com o esquema vacinal completo. O órgão enfatiza que é importante que a população se imunize com as duas doses ou dose única, e receba a dose de reforço.

O que é a variante ômicron?

No dia 26 de novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a B.1.1.529 como variante de preocupação e escolheu o nome “ômicron”. Com essa classificação, a nova variante foi colocada no mesmo grupo de versões do coronavírus que já causaram impacto na progressão da pandemia: alfa, beta, gama e delta.

A ômicron é considerada de preocupação, pois tem 50 mutações, sendo mais de 30 na proteína “spike” (a “chave” que o vírus usa para entrar nas células e que é o alvo da maioria das vacinas contra a Covid-19).

Fonte: G1 Santa Catarina

Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 4)
Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 5)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS