FIESC e Prefeitura lançam plataforma “Pinhalzinho Mais Empregos”

Com a economia fundamentada na indústria, na agricultura e no comércio, Pinhalzinho completa 60 anos em 2021 e, nesta semana, ganhou um presente: a plataforma “Pinhalzinho Mais Empregos”. O lançamento ocorreu em evento híbrido, transmitido a partir da Câmara de Vereadores do Município, e contou com a presença do prefeito, Mário Afonso Woitexem, do vice-presidente regional Oeste da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Waldemar Antônio Schmitz, e do presidente da Associação Comercial e Industrial de Pinhalzinho (ACIP), Sergio Matte.

A plataforma “Pinhalzinho Mais Empregos” – resultado de convênio entre a FIESC, a Prefeitura, a ACIP e o Sine – busca conectar pessoas que procuram oportunidades de emprego com empresas que disponibilizam vagas, além de ofertar cursos totalmente gratuitos, 100% on-line e com certificação. O cadastro de currículos e vagas deve ser feito no endereço https://pinhalzinhomaisempregos.santacatarinapelaeducacao.com.br/.

O assessor de Responsabilidade Social da FIESC, Sandro Volpato Faria, apresentou a ferramenta e suas funcionalidades, semelhantes à plataforma do Movimento Santa Catarina pela Educação, mas com ações direcionados para Pinhalzinho e região. “É simples e funcional e já está com vagas e currículos cadastrados, além de 70 cursos disponíveis”, salientou, ao acrescentar que os cadastros feitos no “Pinhalzinho Mais Empregos” são automaticamente incluídos na plataforma do Movimento SC pela Educação: https://movimentosc.com.br/.

Waldemar Schmitz enfatizou que a plataforma é uma iniciativa da FIESC, gratuita, para apoiar a indústria, o comércio, a agricultura, empreendedores e trabalhadores locais. “Ter trabalhadores qualificados é importante para a produtividade e, consequentemente, para a competitividade, agregando valor econômico às empresas e valor social às pessoas. As pessoas desempregadas, que estão buscando uma oportunidade de colocação no mercado de trabalho, terão mais chances se estiverem qualificadas e preparadas para assumir determinadas funções, mesmo as mais básicas. Muitos jovens abandonam a escola para ir ao mercado de trabalho e vão despreparados. Precisamos incentivar nossos jovens a permanecerem na escola e se capacitarem para seu primeiro emprego. Acreditamos fortalecer a comunidade local e regional com essa parceria”, realçou.

Para o gerente executivo do SESI, SENAI e IEL na regional Oeste, Jardel Carminatti, com a plataforma, o município pode promover ações de acordo com as suas necessidades, além de ter indicadores locais. O presidente da ACIP destacou o DNA empreendedor de Pinhalzinho. “Essa iniciativa vem ao encontro das demandas da classe empresarial”, frisou Sergio Matte. O prefeito Mário Afonso Woitexem sublinhou que empresas estão deixando de crescer por falta de mão de obra qualificada. “A plataforma contribui e tem uma linguagem jovem, além de trazer tecnologia. Pinhalzinho faz aniversário e quem ganha o presente é a população”.

DADOS ECONÔMICOS

A coordenadora das Câmaras Setoriais da FIESC, Fernanda Carelli, e o economista pesquisador da FIESC, Matheus Bittencourt, apresentaram dados sobre a economia de Pinhalzinho. O município possui 20,7 mil habitantes e Produto Interno Bruto (PIB) é de R$ 1,12 bilhão. A indústria representa quase 40% do Valor Adicionado Bruto (VAB). Do total de empresas, 66% são do segmento de serviços, 32% da indústria e 2% da agropecuária. A maior parte, 87%, são micro empresas. O setor industrial é o que mais emprega, com 57,6% das vagas de trabalho, seguido pelos serviços (41,7%). O município se destaca também nas exportações, tendo exportado US$ 12,3 milhões de dólares neste ano, o principal destino são os Estados Unidos. Madeira e móveis são os principais produtos exportados (88,5%).

MOVIMENTO SC PELA EDUCAÇÃO

A líder do Movimento Santa Catariana pela Educação, Osnilda Leite, explanou sobre a iniciativa que atua agora com foco nos próximos três anos. A intenção é contribuir para o fortalecimento do ensino profissionalizante como estratégia competitiva, agregando valor econômico às empresas e valor social às pessoas.

De acordo com Osnilda, um fator determinante para melhorar o índice é a educação. “Entre os jovens brasileiros de 16 a 29 anos, 25,8% não estuda e não trabalha. Em Santa Catarina, o índice é de 16,9%, o que representa mais de 290 mil jovens. Os principais motivos da evasão na educação básica é a falta de interesse na escola e a necessidade de trabalhar”, relatou, ao acrescentar que a educação profissional pode ser um caminho para melhorar esses números.

A plataforma “Pinhalzinho Mais Empregos” integra o Movimento Santa Catarina pela Educação, uma iniciativa desenvolvida pela Fiesc desde 2012, com participação do Sesi e do Senai. Obteve a adesão dos serviços de aprendizagem e social do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio, Senac e Sesc), Agricultura (Faesc e Senar/SC), Transportes e Logística (Fetrancesc, Sest e Senat), além das entidades representativas dos trabalhadores das indústrias e de instituições públicas, como a Secretaria de Estado da Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC).

Reportagem: MB Comunicação Empresarial/Organizacional

Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 4)
Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 5)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS