InícioÚltimas do Olhar do SulFAESC auxiliará na expansão do Programa Rede Rural de Segurança da PMSC

FAESC auxiliará na expansão do Programa Rede Rural de Segurança da PMSC

Mais segurança no campo e agilidade no atendimento ao produtor rural. Esse é o objetivo do Programa Rede Rural de Segurança e Georreferenciamento por GPS Rural, da Policia Militar de Santa Catarina, lançado durante solenidade no último fim de semana, na comunidade Pesqueiro do Meio, Interior de Xanxerê.

Cerca de 80 produtores rurais das diversas comunidades do interior de Xanxerê participaram do ato de lançamento, realizado no Centro Comunitário. O Comandante Interino do 30º Batalhão de Polícia Militar de Fronteira, Major PM Neivo Risson, apresentou o Programa que consiste no georreferenciamento das propriedades.

“A Rede Rural de Segurança é um programa preventivo da PMSC. Funciona de forma semelhante à Rede de Vizinhos, ou seja, as comunidades são organizadas em um grupo que possibilita troca de mensagens juntamente com um Policial Militar que repassa dicas de segurança e informações sobre suspeitos e crimes que possam existir. Além disso, teremos o GPS Rural com propriedades georreferenciadas, possibilitando maior exatidão e rapidez no deslocamento e localização das propriedades do interior”, explica.

O vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri, participou do evento e destacou que a CIDASC possui todo o georreferenciamento do Estado, pois durante 10 anos coletou informações por meio das notas de produtor e se comprometeu em auxiliar nas tratativas com a entidade para que os dados sejam compartilhados, facilitando o trabalho da PM e expandindo o programa para o Estado de Santa Catarina.

“A Federação vem cobrando do Governo do Estado há alguns anos maior participação da equipe de segurança pública no campo e vínhamos recebendo informação de falta de efetivo e dificuldades de cobertura da área. Felizmente, neste ano o setor conseguiu um novo setor de segurança no campo – o Centro Estadual de Combate aos Crimes contra o Agronegócio da Polícia Civil de Santa Catarina (CAOAGRO). Agora, com esse trabalho da Policia Militar a resposta aos produtores se torna mais efetiva, oferecendo maior segurança às propriedades do interior. Essa ação também traz mais aproximação dos órgãos com os produtores. Parabenizamos o lançamento do programa em Xanxerê, pois acreditamos que ações assim tem o poder de trazer mais paz ao produtor rural e melhores condições de trabalho para os policiais”, destaca Enori.

Segundo Major Risson, o projeto contou com a parceria inicial da Cooperalfa que cedeu as informações de georreferenciamento dos produtores associados para cadastro inicial e, agora, conta com parceria da Faesc para ampliar a cobertura para todo Estado.

“A PMSC é pioneira no Brasil em tecnologia e Inovação e Xanxerê é referência para o Estado. Contamos com a parceria da Cooperalfa, que cedeu o georreferenciamento dos associados e agora com o anúncio do Enori Barbieri, que auxiliará nas tratativas com a CIDASC. Com isso, será possível expandir o georreferenciamento para todo o Estado e ainda possibilitar que outros entes públicos, como Bombeiros e Defesa Civil, também possam utilizar do serviço, tornando assim o atendimento mais eficaz em toda rede”, pontua.

Para identificar as propriedades participantes da rede de Segurança, os moradores podem solicitar as informações de cadastro para confecção de uma placa de identificação que será fixada na entrada da propriedade, facilitando a identificação visual das equipes no atendimento.  Durante o evento cinco placas já foram entregues aos primeiros moradores.

O produtor Luiz Eduado Scanagatta, de Pesqueiro do Meio, foi um dos moradores que retirou a placa. “A Polícia Militar entrou em contato conosco, falando do programa. Já aderimos e solicitei a placa para colocar na entrada da propriedade. Cada ação que vem para trazer mais segurança é bem-vinda. Esse GPS auxiliará e agilizará o atendimento. É mais segurança para nós e, com isso, vamos dormir um pouco mais tranquilos”, comemora.

O presidente da Faesc e vice-presidente de finanças da CNA, José Zeferino Pedrozo, relata que os produtores padeciam de um sistema de segurança frágil que os faziam sofrer nas mãos de quadrilhas especializadas. “Com o trabalho do Programa Rede Rural de Segurança e Georreferenciamento e do CAOAGRO é possível promover uma repressão qualificada dos delitos que tanto preocupavam a classe produtiva. São duas iniciativas que representam grandes conquistas não somente para os produtores rurais como para toda a cadeia produtiva do agronegócio”.

Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional