Estudo mostra que professores brasileiros têm os piores salários da OCDE

Um relatório sobre o impacto da pandemia de coronavírus na educação foi divulgado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) nesta quinta-feira (16). De acordo com informações do portal de notícias R7, o estudo mostrou o problema em relação a baixa remuneração dos professores brasileiros.

De acordo com o levantamento, o salário médio dos professores no Brasil é inferior ao das 37 nações do bloco e dos três países parceiros representados no levantamento. A média do salário do professor brasileiro é R$ 131.407 (US$ 25.030) por ano no nível pré-primário, R$ 133.171 (US$ 25.366) no nível primário, R$ 135.135 (US$ 25.740) no nível secundário inferior geral e R$ 140.301 (US$ 26.724) no nível secundário superior geral.

As remunerações médias por ano entre os países da OCDE eram de R$ 213.711 (US$ 40.707), R$ 239.856 (US$ 45.687), R$ 251.937 (US$ 47.988) e R$ 271.682 (US$ 51.749) no pré-primário, primário, secundário inferior e superior, respectivamente.

O estudo mostra que, mesmo recebendo os maiores salários, os professores de nível universitário no Brasil têm uma remuneração 48,4% menor em relação à média dos outros países pelo mundo.

Reportagem: Da redação da ISTOÉ

ÚLTIMAS NOTÍCIAS