Estudantes de Engenharia desenvolvem um protótipo inédito que beneficia a população

Cinco estudantes do curso de Engenharia Elétrica da Unisul se uniram durante a aula da Unidade Curricular Vida & Carreira, debateram sobre uma ideia, colocaram no papel e depois de um mês a ideia se tomou realidade. Eles criaram um protótipo de dispenser de álcool em gel com sensor automático. O objetivo central era diminuir a contaminação do coronavírus, sobretudo em hospital públicos, onde ocorre a maior circulação de pessoas, principalmente as que compõe o grupo de risco. A equipe, orientada pela professora Francielen Kuball Silva, produziu dois modelos que foram doados para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, localizado no município de Tubarão, e para o Hospital São Camilo em Imbituba.

O trabalho foi liderado pelo estudante Eduardo Carvalho, com a ajuda dos colegas Ismael Binhoti, José Victor kulkamp, Ruan Lock, Eduardo Mendes e Kelvin Bauman. A equipe trabalhou durante um mês na construção do protótipo, e agora os jovens estão se preparando para patear, devido ao sucesso do invento. Eduardo Carvalho conta que quando surgiu a ideia fizeram uma pesquisa nos modelos de dispensers existentes e não acharam nenhum com sensor, e ele já estava pesquisando sobre sensores de movimento e infravermelho.

“Eu desenhei o modelo junto com meu colega Ismael, que é técnico em eletrônica, depois mandamos o desenho para o José Victor, que é marceneiro, ele fez o corpo do dispenser, o Ismael fez a solda e os demais integrantes colaboraram com pesquisas de campo e questionários. O dispenser funciona com sensor. Dentro tem uma bomba que é ativada pelo movimento. A partir do momento que a pessoa aproxima a mão do sensor a bomba ativa e manda o álcool em gel para a mangueira. Outra questão importante é que esta criação é feita de sobras de MDF, e acaba sendo mais sustentável do que o modelo de plástico, pois tem menos descarte. O plástico demora muito mais tempo para degradar do que a madeira. Sem contar que é mais higiênico pelo fato de não haver contato físico com o dispenser. Esse modelo se tornou interessante por ser mais higiênico, sustentável e evita a proliferação de vírus”, explica Eduardo Carvalho.

Eduardo, que tem 19 anos, é natural de Imbituba e conta que sempre gostou de estudar a parte elétrica e projetos. Desde que entrou no curso sabia o que queria. Ele disse que gosta muito de estudar matemática e física e sabe que a área de elétrica sofre com constantes atualizações e isso demanda bastante dedicação. Eduardo entende a importância da sua profissão para a sociedade.

“O projeto que criamos tem um cunho social e tem como principal objetivo auxiliar na higienização das mãos da população, não só durante a pandemia da COVID-19, mas mesmo depois dela”, enfatiza Eduardo

Ismael Binhoti, também integrante da equipe, tem 19 anos, é natural de Florianópolis, mas reside em Tubarão. O estudante conta que se sente muito bem projetando e construindo coisas que podem ajudar os outros e a si mesmo.

“Durante a construção do protótipo do dispenser tivemos apenas um pequeno contratempo, durante os testes acorreu um problema com a bomba, mas conseguimos solucionar rapidamente. E esse é o bom da experiência, aprender com as coisas”, disse Ismael. O estudante que gosta de esportes e socializar com amigos e família disse que está feliz em poder contribuir com a sociedade com este projeto. “A problemática deste projeto é que muitas pessoas estão sendo contaminadas em hospitais e postos de saúde, então a nossa ideia foi substituir esses dipenser manuais por um dispenser com sensor, onde a pessoa não precisa colocar as mãos no objeto, evitando o risco de ser contaminado pela COVID-19”, enfatiza Binhoti.

A professora Francielen explica que, na UC Vida & Carreira, os estudantes compreendem seu papel no mundo, mobilizam hard e soft skills no desenvolvimento de projetos ancorados nos valores da responsabilidade social global. Nesta proposta, além de contribuir para a construção de um mundo melhor, os estudantes desenvolvem competências fundamentais para sua vida e carreira, além disso, aprendem a resolver problemas complexos de forma inovadora, se tornando mais preparado para os desafios do futuro.

“Nesta UC, os estudantes devem desenvolver um Projeto de Engajamento Social, em que os mesmos são desafiados a pensar em um problema de uma comunidade, criando soluções inovadoras e testando a ideia na prática”, ressalta a professora Francielen Kuball Silva.

Cilene Macedo/Educador Comunicação/UNISUL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

19ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

Até o dia 28 de novembro acontece a 19ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis (SC). O evento conta com o patrocínio da Statkraft Brasil. Os filmes serão...

MUNDO | Emergência climática revela cadáveres ‘enterrados’ em geleiras

O aquecimento global tem dado sinais um tanto macabros de sua ação na natureza. As temperaturas mais altas têm revelado nas geleiras da Suíça...

Povos indígenas poderão ser incluídos na rede socioassistencial do Brasil

As famílias de povos indígenas foram inclusas, pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), nos serviços e benefícios ofertados pela rede socioassistencial. A inclusão...

Avô será indenizado após presentear neta, em suas bodas, com refrigerador estragado

Um avô que presenteou a neta, por ocasião de seu casamento, com um refrigerador entregue sem funcionar e amassado em sua lataria, será indenizado...