ENTREVISTA | Com Pedro Veroneze autor do livro “Quero dar uma Parada em Nova Iorque antes de Ir para o Inferno”.

Pedro, foi recentemente integrado a Academia Internacional de Literatura Brasileira, dentre outras conquistas também faz parte da Coordenação Editorial, na Editora Fross. Ele também faz parte da Academia Friburguense de Letras e agora se prepara publicação do seu novo livro em alguns dias, “Quero dar uma Parada em Nova Iorque antes de Ir para o Inferno”.

Seu primeiro trabalho foi aos 16, “The Pandemic”, que põe em pauta o tema de vírus e pandemia nessa obra o jovem autor antecipa quase que como uma clarividência a atual Pandemia que estamos vivenciando agora em 2021 no mundo inteiro.

Fomos buscar saber desse trabalho que Pedro Veroneze vem idealizando através das letras, acompanhe a entrevista:

Olhar do Sul – Fale nos um pouco de você?

Pedro- kkkkkk. Eu sei que no brasil e mundo, quando se está no mundo e mercado do showbuss, as pessoas se interessam por quem você é. Do que gosta e o que você faz. Mas eu ficaria muito feliz se as pessoas gostassem tanto do que escrevo que não perdessem tempo com isso.

Olhar do Sul – Como foi por no papel assuntos tão complexos como a Pandemia?

Pedro- Eu diria sexy e bagunçado. Quando escrevi esse livro, me senti nu. Performando para vocês os mais profundos acontecimentos das mais escuras ruas de minha mente, de meu Mundo Onírico. Eu fui simplesmente me despindo para que enxergassem parte do meu Onírico pelo satélite artificial que o orbita.

Olhar do Sul-Você recebeu apoio no primeiro trabalho?

Pedro – Sabe quando Buk disse que os escritores são as putas do universo? Para mim, nos pagam com acontecimentos. Foram eles que me ajudaram, a vida e outras putas.

Olhar do Sul- De onde vem tanta inspiração?

Pedro – Quando você sabe chegar no seu Mundo Onírico sem precisar de drogas ou qualquer outra coisa artificial. E quando se olha em volta. Tudo e qualquer coisa pode virar uma boa história se você for sincero e verdadeiro. Pelo menos era o que o velho Hemingway dizia. Eu concordo.

Olhar do Sul-Nessa segunda obra o que você espera?

Pedro- espero que as pessoas consigam achar seu veículo. O meu é o Expresso Polar. Espero que consigam chegar até seu Mundo Onírico. Sentar na beira

de suas camas e enxergar o real mundo a sua volta. Kurt tocando guitarra. Jack Sparrow mexendo em anéis. César te encarando como um macaco. Potter te ameaçando um feitiço. E o Pablo te chamando para brincar lá fora. Quando conseguir ver tudo isso sem precisar ser sugestionado nem ser pela droga; Bem vindo, chegou ao seu Onírico.

Olhar do Sul-Explique o por que desse tema no segundo trabalho?

Pedro- Porque as pessoas estão perdidas. E eu sou um artista. Meu único motivo de existir, é com falha colaborar para o estudo em achar uma um antídoto que preste para que esqueçamos essa falha existencial que é a vida.

Olhar do Sul-Onde você quer chegar com tudo isso?

Pedro-Ganhar dinheiro para produzir arte de qualidade. Ninguém pensa no Pitágoras que ganhou rio de dinheiros para ficar o dia coçando o rabo pensando suas merdas e isso se segue por vários dos pensadores que veneramos. Sinto um pouco de vergonha falar isso, estou bêbado, mas para a escrita ser boa tenho de ser verdadeiro.

Olhar do Sul- Escrever para você é mais que pôr no papel?

Pedro- escrever é escrever. As pessoas romantizam muito. Esse é o problema do escritor, somos cheios de palavras. Mas é uma benção, uma palavra são muitos significados.

Olhar do Sul – O que sua família pensa sobre sua decisão de seguir esse caminho de escritor?

Pedro- Me apoiam. Em muita coisa. Só não querem que eu passe fome. E eu não duvido da primeira opção.

Olhar do Sul- Deixe-nos uma mensagem e contatos para adquirir seus trabalhos!

Pedro- É um prazer conhece-los. Sou mais fã do meu segundo livro. Mas a segunda edição de The Pandemic, conta com uma história de tirar o fôlego. Eu não escrevo para os escritores narcisos como eu e sim ara vocês leitores escapar para o que chamamos de realidade. Coe um bom café, pingue vodka ou gin. 8 gotas por favor. Se sente de pernas dobradas e leia. Vem no meu instagram, twitter ou sei lá e me diz, o que se passa na sua mente?

Redação Olhar do Sul

ÚLTIMAS NOTÍCIAS