Encontros de fim de ano preocupam as autoridades em Saúde

Com hospitais lotados e o crescente número de casos de Covid-19 as autoridades de saúde voltam os olhos agora para as festas de fim de ano. Temor é que os encontros de Natal e Reveillon possam gerar um novo pico em janeiro de 2021. “Nossa preocupação é com as festas de fim de ano. Sabemos que as pessoas vão se encontrar no natal, na virada de ano e se não houver cuidado com uso de máscara e o distanciamento corremos o risco de começar o próximo ano com um quadro muito sério em toda a região. A vacina por enquanto é só um sonho, então é necessário que se tome cuidado”, pontua o secretário de saúde de Criciúma Acélio Casagrande.

Segundo ele o quadro na região ainda e bastante delicado. “O número de casos ativos da doença segue crescendo e com isso os leitos disponíveis vão diminuindo. O doente de Covid tem um tempo logo de permanência em leito hospitalar e isso acaba pressionando todo o sistema”.

Vacina

Durante entrevista à Massa FM, Acélio Casagrande também falou do anúncio feito pelo Governo de Criciúma na terça-feira. Em uma transmissão através das redes sociais o prefeito Clésio Salvaro destacou a reserva de até 20 milhões para investir na imunização dos criciumenses contra a Covid-19. “Estamos com um plano B pronto. Se houver qualquer problema com a campanha do Governo Federal o município vai estar preparado”.

Ele também criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro em anunciar que não pretende se vacinar. “É um direito dela, mas a declaração não ajuda em nada. Ela afasta as pessoas de uma campanha que tem como foco salvar vidas e retomar a rotina. É a mesma tese defendida por alguns de que a máscara não funciona. Não ajuda em nada, não salva a vida de ninguém. Só cria polêmica desnecessária”.

Reportagem: Anderson Jesus/Sul Notícias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS