É melhor nascer rico do que talentoso: novo estudo reforça ideia de que meritocracia é mentira

É melhor nascer rico do que talentoso. Ao menos essa é a conclusão de um estudo que cruzou genética e economia para confirmar uma impressão já bastante difundida: a meritocracia é um mito.

O estudo, conduzido por Kevin Thom, economista da New York University, usou dados publicados por outra pesquisa, que avaliou o genoma de mais de um milhão de pessoas e os relacionou a diferentes potenciais de aprendizado, chegando à conclusão de que não há grandes diferenças genéticas entre pessoas nascidas em famílias ricas ou pobres.

De acordo com Thom, apenas 24% das pessoas nascidas em famílias pobres, mas que estão no quadrante de maior potencial de aprendizado, conseguem se formar na ensino superior. Entre as pessoas nascidas em famílias ricas e que também se encaixam no quadrante, o índice é de 63%.

A diferença estatística fica mais chocante ao observar os dados de pessoas nascidas em famílias ricas, mas que estão no quadrante de menor potencial de aprendizado: 27% delas conseguem se formar no ensino superior, ou seja, mais do que o índice das pessoas pobres, mas com alto potencial de aprendizado.

“Se você não tiver os recursos familiares, mesmo as crianças mais espertas, aquelas naturalmente talentosas, terão de enfrentar batalhas mais complicadas”, sintetizou o autor da pesquisa.

Redação Hypeness

Fotos: Reprodução/Creative Commons

ÚLTIMAS NOTÍCIAS