Documentário homenageia trajetória religiosa de 35 anos de Frei Theo

“Não vim construir torres” é um documentário que retrata a história do padre alemão, Theo Eustergerling, que veio para o sul do Brasil na década de 1970 onde trabalhou em Forquilhinha durante nove anos. No município incentivou deixou um legado de fé, respeito e amizade. Sete anos após, em 1977, assumiu a Paróquia São Roque, que abrange os municípios de Jaborá e Presidente Castelo Branco, no meio oeste catarinense. Nestes municípios exerceu sua missão por 26 anos. Enquanto pregou a palavra de Deus, trabalhou para as comunidades nas construções e melhorias das igrejas, cemitérios e centros comunitários.

Frei Theo tinha formação franciscana e não gostava de usar as palavras clero e leigo porque elas distinguem a elite da igreja do povo comum. “Não chamo ninguém de leigo, apenas quando era obrigado a ler nos textos, numa reunião. Para mim não existem leigo, só tem irmãos e irmãs de uma igreja, comunidade”, justificou o padre aposentado.

Terezinha Ferrari revela que praticamente todas as famílias de Jaborá tem fotografias de batizado, primeira comunhão ou casamento realizados por Frei Théo. “Ele participava de tudo, cozinhava nos eventos, cortava grama, participava na organização das festas ajudando a puxar mesas, limpando o pavilhão e os banheiros”, complementou.

A moradora da Linha Eyng, Benigna Preis Eyng lembra que depois que ele rezava a missa, procurava pessoas que sabiam falar alemão e ficavam conversando na frente da igreja. “Ele gostava muito de plantar flor. Tinha um vaso grande na frente da igreja, aquele sempre estava impecável. Eu vi Frei Theo dançar. Ele gostava de bailar, dançar aquelas valsas, aquelas músicas alemãs, ele dançava tão bem”, contou Benigna.

Frei Theo mora no Brasil há 60 anos. Foi em Vitória, capital do Espírito Santo, que colocou os pés no solo brasileiro pela primeira vez, no dia 17 de janeiro de 1961. Depois de aposentado, em 2003,  escolheu continuar morando em Jaborá, onde construiu uma casa.

A produção é da acadêmica de jornalismo da Unisatc, Ana Lucia Pintro, sob a orientação da professora e jornalista Lize Búrigo.

Sinopse do documentário: Não vim construir torres

Construir torres de igreja não era prioridade para o padre Theo Eustergerling. Ele nasceu na cidade de Wiedenbrück, na Alemanha, às vésperas do Natal de 1937. Escolheu o Brasil para dedicar seu trabalho à Religião Católica. Exerceu sua missão durante 35 anos.

Iniciou os estudos religiosos na Bélgica e no Brasil passou parte de sua vida estudando e se preparando para ser ordenado padre.

Seu primeiro trabalho como padre foi na Paróquia de Santo Antônio de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, em 1967. No ano seguinte foi transferido para Forquilhinha, no sul catarinense Sete anos após, assumiu a Paróquia São Roque, que abrange os municípios de Jaborá e Presidente Castelo Branco, no meio oeste catarinense. Frei Theo dedicou 26 anos de sua missão por este povo e por esta terra que escolheu para morar.

Enquanto pregou a palavra de Deus, trabalhou para as comunidades nas construções e melhorias das igrejas, cemitérios e centros comunitários. Cumpriu sua missão ajudando o povo a crescer, ter esperança, concretizar sonhos e a fortalecer a fé e o trabalho solidário.

 LINK DO DOCUMENTÁRIO

 https://www.youtube.com/watch?v=Azk1pRbTmdw

Ana Lúcia Pintro: Professora Matemática (Criciúma e Cocal do Sul)/Acadêmica de Jornalismo (SATC)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS